Pular para o conteúdo principal

Flávio Frenkel reformula proposta gastronômica do Dom Giovanni

 Intenção é buscar as raízes da cantina com personalidade e sem deixar de lado preferências dos clientes do restaurante, há 32 anos em funcionamento em Curitiba.

"É uma cozinha de memória", resume Flávio Frenkel, chef que está assessorando a nova etapa do restaurante Dom Giovanni. A chegada de Flávio é parte fundamental de um processo de reposicionamento do estabelecimento, que se firma ainda mais como uma cantina tipicamente italiana. O que vai agradar tanto a tradicional colônia italiana residente em Curitiba quanto os que amam a cozinha da ‘bota’, como é carinhosamente conhecido o país. O restaurante estará de cara nova a partir de maio.

A intenção de Frenkel é de fato buscar as raízes italianas para esta nova fase. Sem deixar de imprimir sua personalidade, de quem já viajou o mundo e que é reconhecidamente um dos principais banqueteiros do país, e valorizando ao máximo as características da casa. Neste processo de assessoria da casa, o objetivo é a construção do conceito e alinhamento para condução no dia a dia pelo novo chef e equipe do restaurante, que terão a missão de reproduzir a proposta gastronômica do Dom Giovanni.
A renovação cumpre a ideia de que a casa precisa ser dinâmica como é o consumidor. Gostos e preferências mudam com o passar dos anos, e um bom restaurante precisa acompanhar essas movimentações. A mudança não atinge apenas a operação: a decoração e a estrutura da casa também mudam. O que se mantém é a característica de um estabelecimento econômico, de preço justo e boa comida.
Tudo feito em casa
A casa passa a utilizar apenas ingredientes e massas produzidos pela sua equipe. "Não vai ter nada de pacote", garante Frenkel. "Tudo o que estou fazendo parte do princípio que será feito pelo time construído para atuar na casa, com as características da marca", detalha. "Estamos começando do zero. O cliente vai ter comida sem conservante, sem produto químico ou elemento artificial", pontua. Vem daí a referência à memória, aos que se lembram das avós e avôs italianos preparando grandes mesas com tudo colhido no quintal, ou preparado na pedra de mármore da cozinha.

"Nas pizzas, vamos usar massa de fermentação lenta, no estilo, napolitano, com borda mais alta, mais torrada", explica. A massa da nova pizza do Dom Giovanni será com água, farinha e sal, ingredientes suficientes para uma bela pizza tradicional, como se costuma fazer na Itália. E os sabores apontam também para a tradição importada de lá, com as clássicas margherita, portuguesa, calabresa e linguiça. Além de quatro queijos e catupiry com milho e bacon, que não são tradicionais italianas, mas muito consumidas no Brasil.
Toda a carta de molho será produzida também sem itens industrializados. Nela estão funghi, ragù d’arrosto, molho de linguiça, galinhada caipira, pomodoro e o tradicional bolognesa.

Nas massas recheadas, estão o ravióli de mozzarela e panzotti de linguiça. Todas as massas serão frescas e produzidas de maneira artesanal, feitas com semolina, farinha e ovos. Nas frituras, o frango frito italiano, com crosta, marca registrada da casa, a polenta frita e o arancini, bolinho de arroz recheado.

A polenta cremosa também vai seguir as diretrizes italianas: feita com caldo de verdura e de galinha, sem nenhum produto lácteo, como queijo ou manteiga. Assim como as saladas, que vão seguir receitas italianas: folhas variadas, salada de macarrão, de feijão branco com tomate e linguiça, panzanella e de batata pirulito italiana.

Mas o cardápio, garante Frenkel, é evolutivo. O que significa que, ainda que a intenção seja estar mais próximo da cozinha italiana, ele não será estático. E que permite que a cantina mantenha sabores que caíram no gosto do consumidor brasileiro, como as pizzas doces e as demais opções de sobremesa, como os doces Romeu e Julieta, banana e canela, nutella com banana e com morango e castanha. "É para fazer o cliente ter vontade de voltar", diz.
Novo modelo de atendimento
O restaurante conta com espaço para atender, em um local para 500 pessoas, cerca de 250 com o distanciamento necessário entre as mesas em um salão arejado.

Nesta nova etapa, o Dom Giovanni encerra os atendimentos durante o horário do almoço nos dias da semana. O restaurante vai estar aberto apenas para o jantar nos dias úteis, já que se trata de um momento em que o número de profissionais em home office é grande. O almoço será mantido, porém, aos finais de semana.

A outra novidade é que o buffet, que antes não incluía bebida, passa a ser servido com refrigerante, além das sobremesas, à vontade.
Fotos: Divulgação.

Postagens mais visitadas deste blog

Curitiba 18💙18 distribui 270 toneladas de alimentos

  Campanha de financiamento coletivo arrecada R$ 991.841 em 18 dias em prol de ONGs de Curitiba e Região Metropolitana. Uma campanha em torno do número cabalístico 18. Assim foi a Curitiba 18 18 , uma iniciativa da Comunidade Israelita do Paraná, que foi abraçada por muitos curitibanos, pessoas físicas e jurídicas.   A ação foi inspirada na campanha original de São Paulo, realizada algumas semanas antes. A arrecadação total pela plataforma de financiamento coletivo Benfeitoria foi de R$ 991.841,00, que estão sendo transformados em 270 toneladas de alimentos para mais de 9 mil famílias.   A distribuição já começou e continuará nas próximas semanas, com o apoio logístico da Trans Pizzatto. O número 18 foi escolhido por simbolizar a vida, transformando alimentos em esperança para as famílias mais necessitadas, situação agravada pela pandemia. “18 simboliza ‘chai’, que é vida em hebraico. E o coração, uma ponte para outra vida. Pessoas ajudando pessoas. Uma forma de honrar essa terra que t

Conheça os eventos na Itália e na França que vão celebrar Leonardo da Vinci em 2019

Com 28 de anos de história a Teresa Perez Tours é especialista em criar e reinventar roteiros personalizados e não poderia ficar de fora das comemorações dos    500 anos da morte de Leonardo Da Vinci , no  ano de 2019.  Da Vinci,  considerado, graças às suas contribuições em praticamente todos os campos do conhecimento humano, um dos artistas mais completos que o mundo já conheceu. O gênio italiano morreu no dia 2 de maio de 1519 e, como não poderia deixar de ser, o tema vai inspirar atrações ao longo do ano na Itália, país de origem do artista, e na França, onde passou os últimos dias de sua vida. Na programação, mais de 500 eventos com o objetivo de criar um movimento popular e artístico através de uma programação variada, que aborda temas relacionados à figura do artista e ao Renascimento - período em que viveu -, como arquitetura, gastronomia, artesanato, ciência e inovações tecnológicas.   Legado e raízes na Itália Na Itália, uma série de celebrações estão planejadas e du

Brasil abre 2018 com 16 prêmios para os espumantes brasileiros na Espanha

Vinhos e espumantes são reconhecidos por júri internacional formado por 40 experts A conquista de mais prêmios internacionais para vinhos e espumantes brasileiros começou mais cedo este ano. O país verde e amarelo acaba de conquistar 16 medalhas no Concurso Internacional de Vinos y Espirituosos (CINVE) 2018 , realizado de 12 a 14 de fevereiro no Complexo Cultural de São Francisco, na cidade de Cáceres, na Espanha. A entrega da premiação acontecerá dia 13 de abril no Hotel Villamagna, em Madri .   O concurso reuniu 705 amostras de 14 países. Um júri formado por 40 experts distinguiu quatro vinhos e 12 espumantes brasileiros . O diretor da Associação Brasileira de Enologia (ABE), enólogo Marcos Gabbardo, esteve representando o Brasil e destaca que foi possível avaliar, principalmente, vinhos da Península Ibérica, além de produtores do Novo Mundo e Velho Mundo. “Todas as avaliações foram realizadas às cegas por jurados internacionais, permitindo a valorização da diversidade e qual