Pandemia aumentou procura por harmonização facial

Vivemos tempos incertos. Tempos em que a necessidade da qualidade de vida virou o principal foco para muitas pessoas. O que antes via-se como uma opção de vida saudável, hoje em dia sabe-se que ter saúde e o autocuidado são as melhores escolhas.

 

Talvez nunca planejamos tanto nossos sonhos, como fazemos agora, que vimos parte de nossa liberdade ser cerceada em benefício da saúde coletiva. A esperança de dias mais leves, da vacina para todos e o resgate de nossa vida “normal” é o principal foco do momento.

 

A parte curiosa de tudo isso é que foi preciso o mundo parar para muitos voltarem a se preocupar consigo mesmos. A necessidade de usar máscaras, e de certa forma tampar o rosto e assim se proteger da Covid-19, fez com que as pessoas voltassem a se enxergar. “Muitas pessoas encontraram a solução na harmonização facial justamente por terem esse tempo para si e porque as máscaras acabam destacando um trecho do rosto muito expressivo: os olhos. Vimos o aumento das pessoas mais preocupadas com o terço superior do rosto (testa, entre sobrancelhas e pés de galinha”, conta Patrícia Giacomelli, cirurgiã dentista especializada em harmonização facial com mais de 15 anos de experiência CRO PR 30042. E completa: “Outro aspecto que fez com que os procedimentos estivessem em alta no momento são porque a máscara esconde possíveis inchaços que aparecem após os primeiros dias, evitando que outras pessoas percebam o que foi feito”.

 

Vale dizer ainda que um dos procedimentos mais realizados para rejuvenescer o rosto é a Harmonização facial, afinal ela combina as melhores técnicas estéticas para melhorar a harmonia do rosto, transformando os traços e tratando o envelhecimento facial, caracterizado pela perda da elasticidade da pele, queda dos tecidos, músculos e gordura. Entre muitos procedimentos minimamente invasivos, a maioria é realizada de forma segura e efetiva, com poucos efeitos colaterais e é por isso que cada vez mais pessoas buscam esses tratamentos. “Os preenchedores são muito seguros e o efeito colateral mais comum são pequenas áreas inchadas, que são reações às pequenas agulhas que, em contato com a pele, causam essa pequena vermelhidão benigna e sem efeitos colaterais permanentes”, diz.

 

Preenchedores injetáveis, feitos de substâncias como ácido hialurônico e colágeno, famosos por dar volume aos lábios ou preencher as tão temidas rugas, estão aumentando em popularidade em todo o mundo. Nos Estados Unidos, o número desses procedimentos passou de 1,8 milhão em 2010 para 2,6 milhões em 2016, de acordo com dados da Sociedade Americana de Cirurgiões Plásticos. No Brasil não é diferente. Segundo o Censo 2016 da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), nos últimos dois anos, a procura por procedimentos estéticos não cirúrgicos, incluindo o preenchimento, aumentou 390%. E esses números crescem ano a ano. “Um dos fatores que sempre destaco é o conhecimento da biomecânica e do tônus muscular da face que um Ortodontista detém, e isso é um fator muito importante na hora de evitar dor nos procedimentos não invasivos e não cirúrgicos”, conta Patrícia.

 

Não existe uma regra, mas a partir dos 25 anos qualquer pessoa pode buscar como preventivo algum procedimento facial. “Homens e mulheres podem fazer qualquer procedimento, desde que respeitem as características específicas em cada rosto. É isso que irá garantir um bom resultado, não adianta buscar referências que talvez não combinem com a harmonia daquela pessoa. Devemos pensar sempre como uma busca por melhorar o que já temos de bonito e não uma mudança radical”, conta a profissional.

 

Outro ponto importante, com a alta demanda dos hospitais e com as cirurgias suspensas, a busca por procedimentos menos invasivos e preventivos aumentaram.  Afinal, cada vez mais se entende que o segredo para uma vida saudável e com qualidade está na busca de tratamentos preventivos. “Por isso a importância de procurar um profissional capacitado e assim obter sempre o melhor resultado de cada análise facial. Temos que entender que o rosto é único e que cada pessoa precisa de um procedimento e uma análise individual”, explica a especialista.

 

Entre os tratamentos mais procurados estão preenchimento (1º), toxina botulínica (2º), peeling (3º), laser (4º) e suspensão com fios (5º). “O tipo de procedimento indicado (cirúrgico ou não cirúrgico) irá depender de cada fase e da necessidade de cada paciente. Por exemplo, maiores graus de envelhecimento, demandam cirurgia. Por outro lado, casos mais leves, sem um grau de envelhecimento estabelecido, podem ser resolvidos com procedimentos mais simples e menos invasivos”, ressalta Patrícia Giacomelli.

 

Por último e não menos importante, ressaltamos que os consultórios são espaços completamente estéreis e por isso altamente seguros para esse tipo de procedimento.

 

Sobre a profissional:

 

Gaúcha, Patrícia Giacomelli começou sua carreira em 2006 quando se formou cirurgiã dentista, pela Faculdade de Odontologia ULBRA. Em 2013, inicia o primeiro curso de Harmonização Facial e desde então nunca mais parou. Apaixonada pela profissão, a profissional nunca para de estudar e sempre busca aperfeiçoamento e conhecimento sobre as mais diversas técnicas que envolvem o tema.         

 

Serviço:

Dra. Patrícia Giacomelli Harmonização Facial

Endereço: Rua Mário Tourinho, 1805 sala 705 - Edifício Lake Side Corporate (em frente ao terminal campina do Siqueira, próximo ao Park Shopping Barigui).

Facebook e Instagram: @drapatriciagiacomelli

https://www.drapatriciagiacomelli.com/

Foto: Divulgação.

 

 


Comentários