Pular para o conteúdo principal

Leite Moça® faz 100 anos e homenageia mulher brasileira

 Com a campanha "Leite Moça 100 anos. Tudo que pode dar certo vai dar certo" marca celebra a parceria e cumplicidade de quem ajudou a escrever a sua história. 

No ano em que comemora 100 anos no Brasil, Leite Moça® Nestlé, uma das marcas mais icônicas e queridas do país, homenageia a mulher brasileira. A campanha navega por doces histórias emblemáticas envolvendo a marca, como a criação do brigadeiro pelas sufragistas brasileiras para arrecadar fundos para a campanha do Brigadeiro Eduardo Gomes, na década de 1940, até histórias cotidianas de mulheres que encontraram na culinária e na confeitaria uma forma de empoderamento feminino e crescimento pessoal. Tudo distribuído em conteúdo audiovisual, digital e em uma edição comemorativa da lata de Leite Moça®.


"Moça é uma marca icônica no Brasil, porque as brasileiras a tornaram icônica. A cada doce, a cada receita, ela foi passando de ingrediente a parte da nossa história. Participa de momentos inesquecíveis e se tornou uma marca amada. Queremos celebrar a sororidade centenária entre Moça e as Brasileiras, mostrando que juntas fazemos maravilhas dentro e fora da cozinha. A campanha exalta essa história, mas também olha para o futuro com o otimismo que tanto precisamos neste ano, mostrando o poder transformador das mulheres", comenta Renata d’Ávila, CSO da FCB Brasil.

Estreando hoje (28/04) na TV, o filme do centenário da marca mostra que, com cada lata aberta pelas brasileiras, Leite Moça® escreve sua história. Juntas fizeram maravilhas, criaram receitas icônicas e viveram doces momentos. A direção é de Lua Voigt com produção da Delicatessen Filmes. O filme também vai ao ar no digital.

Nas redes sociais, ao longo dos próximos meses, 100 mulheres terão suas histórias contadas, todas trazendo um vínculo especial com Leite Moça®, seja como consumidoras ou empreendedoras. A pesquisa e a reportagem são da jornalista Adriana Terra.

Na lata, pela primeira vez em sua história, o produto mais tradicional da marca vai ceder o lugar da Moça para mulheres reais. Brasileiras que, ao lado de Leite Moça®, têm muita história para contar. A edição especial e ilustrada por Débora Islas vai chegar aos pontos de venda em meados de maio.

História do Leite Moça Nestlé
O leite condensado Milkmaid chegou ao Brasil em 1890. Mas foi em 1921, quando a Nestlé abriu sua primeira fábrica no país, que o produto ganhou outro nome, espontaneamente criado pelas consumidoras, baseado na simpática camponesa que estampava as latas. Nascia assim o Leite Moça, hoje sinônimo de categoria e um dos ingredientes mais importantes na cultura dos doces nacionais, com receitas que passam de geração para geração.

Sobre Moça®
Presente no Brasil desde 1921, a cada segundo são vendidas 7 unidades de Moça® que, além de leite condensado, atua em outras categoriais: de passar; baking; profissional; sorvetes; chocolates; biscoitos e cereais matinais. A marca vive um momento especial com expansão de portfólio, apostando em inovações que tragam ainda mais sabor e qualidade para a mesa dos brasileiros.

Foto: Divulgação.

Postagens mais visitadas deste blog

Curitiba 18💙18 distribui 270 toneladas de alimentos

  Campanha de financiamento coletivo arrecada R$ 991.841 em 18 dias em prol de ONGs de Curitiba e Região Metropolitana. Uma campanha em torno do número cabalístico 18. Assim foi a Curitiba 18 18 , uma iniciativa da Comunidade Israelita do Paraná, que foi abraçada por muitos curitibanos, pessoas físicas e jurídicas.   A ação foi inspirada na campanha original de São Paulo, realizada algumas semanas antes. A arrecadação total pela plataforma de financiamento coletivo Benfeitoria foi de R$ 991.841,00, que estão sendo transformados em 270 toneladas de alimentos para mais de 9 mil famílias.   A distribuição já começou e continuará nas próximas semanas, com o apoio logístico da Trans Pizzatto. O número 18 foi escolhido por simbolizar a vida, transformando alimentos em esperança para as famílias mais necessitadas, situação agravada pela pandemia. “18 simboliza ‘chai’, que é vida em hebraico. E o coração, uma ponte para outra vida. Pessoas ajudando pessoas. Uma forma de honrar essa terra que t

Conheça os eventos na Itália e na França que vão celebrar Leonardo da Vinci em 2019

Com 28 de anos de história a Teresa Perez Tours é especialista em criar e reinventar roteiros personalizados e não poderia ficar de fora das comemorações dos    500 anos da morte de Leonardo Da Vinci , no  ano de 2019.  Da Vinci,  considerado, graças às suas contribuições em praticamente todos os campos do conhecimento humano, um dos artistas mais completos que o mundo já conheceu. O gênio italiano morreu no dia 2 de maio de 1519 e, como não poderia deixar de ser, o tema vai inspirar atrações ao longo do ano na Itália, país de origem do artista, e na França, onde passou os últimos dias de sua vida. Na programação, mais de 500 eventos com o objetivo de criar um movimento popular e artístico através de uma programação variada, que aborda temas relacionados à figura do artista e ao Renascimento - período em que viveu -, como arquitetura, gastronomia, artesanato, ciência e inovações tecnológicas.   Legado e raízes na Itália Na Itália, uma série de celebrações estão planejadas e du

Brasil abre 2018 com 16 prêmios para os espumantes brasileiros na Espanha

Vinhos e espumantes são reconhecidos por júri internacional formado por 40 experts A conquista de mais prêmios internacionais para vinhos e espumantes brasileiros começou mais cedo este ano. O país verde e amarelo acaba de conquistar 16 medalhas no Concurso Internacional de Vinos y Espirituosos (CINVE) 2018 , realizado de 12 a 14 de fevereiro no Complexo Cultural de São Francisco, na cidade de Cáceres, na Espanha. A entrega da premiação acontecerá dia 13 de abril no Hotel Villamagna, em Madri .   O concurso reuniu 705 amostras de 14 países. Um júri formado por 40 experts distinguiu quatro vinhos e 12 espumantes brasileiros . O diretor da Associação Brasileira de Enologia (ABE), enólogo Marcos Gabbardo, esteve representando o Brasil e destaca que foi possível avaliar, principalmente, vinhos da Península Ibérica, além de produtores do Novo Mundo e Velho Mundo. “Todas as avaliações foram realizadas às cegas por jurados internacionais, permitindo a valorização da diversidade e qual