Pular para o conteúdo principal

Fish & Chips ganha cada vez mais espaço na mesa do brasileiro

 Prato tradicional da Inglaterra feito de peixe e batatas se consagra como uma ótima opção de confort food para os brasileiros. 

Grande destaque da gastronomia britânica, o fish & chips é uma receita típica da Inglaterra, que vem conquistando cada vez mais o paladar do brasileiro. Preparado com batatas fritas cortadas grosseiramente em estilo rústico, mais espessas do que as americanas e um peixe de água salgada coberto por uma mistura de farinha de trigo, ou “farelo de pão”, e água, para assim ser frito empanado. Perfeito para acompanhar uma cerveja ou chá bem gelado.

O Sirène Fish & Chips, nasceu em Curitiba (PR) em 2016, mas atualmente está presente também nas cidades de Balneário Camboriú (SC), Florianópolis (SC), Belo Horizonte (MG) e São Paulo (SP). Com previsão de expansão para as regiões sul e sudeste do país nos próximos meses. No Sirène, o público tem a oportunidade de saborear o fish & chips servido em um cone (pequeno ou grande) com peixe frito empanado e batatas fritas deliciosas, com preço a partir de R$ 15. O preparo da casa é desenvolvido com tilápia e recebe um tempero secreto que dá um sabor que se adequa com o paladar dos brasileiros. Para completar, existem várias opções de molhos especiais, entre eles tártaro, mostarda e mel, picante e maionese da casa. Existe a possibilidade, também, de pedir um cone só com peixe frito empanado (Só Fish) ou só com batatas rústicas fritas (Só Chips).

Recentemente a rede também lançou o “Fakie Fish”, uma opção para os clientes que reduziram ou não consomem proteína animal. Feito à base de soja não transgênica, o preparo utiliza técnicas chinesas aprimoradas através de séculos. A releitura do fish & chips, intitulada “Fakie Fish & Chips”, leva o “Fakie Fish” acompanhado pelas deliciosas batatas do Sirène. O preparo exclusivo é comercializado nas unidades de Curitiba, São Paulo e Balneário Camboriú, mas em breve, chegará em todas as lojas da rede espalhadas pelo Brasil com preços a partir de R$ 33. “É a nossa manobra para a galera que não curte muito carne voltar a se sentir em casa no Sirène”, comenta o sócio fundador da rede Sirène, Alexandre Lopes. Além do “Fakie n’ Chips”, entram no cardápio molhos, também veganos, e o Sandufakie tradicional sanduíche do empreendimento que ganha uma versão vegana. “Estamos confiantes, pois além de resgatar clientes antigos que deixaram de frequentar o Sirène por falta de opção vegana/vegetariana (mas que ainda gostam da nossa atmosfera), também poderemos atender outros tipos de público que talvez nunca chegassem a conhecer nosso empreendimento. Nos tornaremos, assim, um lugar ainda mais democrático e aumentaremos a diversidade”, complementa Lopes.

 

A rede Sirène Fish & Chips conta com unidades espalhadas pelo país. Para conhecer todos os detalhes sobre a marca, com cardápios completos e endereços, acesse o perfil oficial do Sirène no Instagram (@sirenebrazil).

Fotos: Divulgação

Postagens mais visitadas deste blog

Curitiba 18💙18 distribui 270 toneladas de alimentos

  Campanha de financiamento coletivo arrecada R$ 991.841 em 18 dias em prol de ONGs de Curitiba e Região Metropolitana. Uma campanha em torno do número cabalístico 18. Assim foi a Curitiba 18 18 , uma iniciativa da Comunidade Israelita do Paraná, que foi abraçada por muitos curitibanos, pessoas físicas e jurídicas.   A ação foi inspirada na campanha original de São Paulo, realizada algumas semanas antes. A arrecadação total pela plataforma de financiamento coletivo Benfeitoria foi de R$ 991.841,00, que estão sendo transformados em 270 toneladas de alimentos para mais de 9 mil famílias.   A distribuição já começou e continuará nas próximas semanas, com o apoio logístico da Trans Pizzatto. O número 18 foi escolhido por simbolizar a vida, transformando alimentos em esperança para as famílias mais necessitadas, situação agravada pela pandemia. “18 simboliza ‘chai’, que é vida em hebraico. E o coração, uma ponte para outra vida. Pessoas ajudando pessoas. Uma forma de honrar essa terra que t

Conheça os eventos na Itália e na França que vão celebrar Leonardo da Vinci em 2019

Com 28 de anos de história a Teresa Perez Tours é especialista em criar e reinventar roteiros personalizados e não poderia ficar de fora das comemorações dos    500 anos da morte de Leonardo Da Vinci , no  ano de 2019.  Da Vinci,  considerado, graças às suas contribuições em praticamente todos os campos do conhecimento humano, um dos artistas mais completos que o mundo já conheceu. O gênio italiano morreu no dia 2 de maio de 1519 e, como não poderia deixar de ser, o tema vai inspirar atrações ao longo do ano na Itália, país de origem do artista, e na França, onde passou os últimos dias de sua vida. Na programação, mais de 500 eventos com o objetivo de criar um movimento popular e artístico através de uma programação variada, que aborda temas relacionados à figura do artista e ao Renascimento - período em que viveu -, como arquitetura, gastronomia, artesanato, ciência e inovações tecnológicas.   Legado e raízes na Itália Na Itália, uma série de celebrações estão planejadas e du

Brasil abre 2018 com 16 prêmios para os espumantes brasileiros na Espanha

Vinhos e espumantes são reconhecidos por júri internacional formado por 40 experts A conquista de mais prêmios internacionais para vinhos e espumantes brasileiros começou mais cedo este ano. O país verde e amarelo acaba de conquistar 16 medalhas no Concurso Internacional de Vinos y Espirituosos (CINVE) 2018 , realizado de 12 a 14 de fevereiro no Complexo Cultural de São Francisco, na cidade de Cáceres, na Espanha. A entrega da premiação acontecerá dia 13 de abril no Hotel Villamagna, em Madri .   O concurso reuniu 705 amostras de 14 países. Um júri formado por 40 experts distinguiu quatro vinhos e 12 espumantes brasileiros . O diretor da Associação Brasileira de Enologia (ABE), enólogo Marcos Gabbardo, esteve representando o Brasil e destaca que foi possível avaliar, principalmente, vinhos da Península Ibérica, além de produtores do Novo Mundo e Velho Mundo. “Todas as avaliações foram realizadas às cegas por jurados internacionais, permitindo a valorização da diversidade e qual