Pular para o conteúdo principal

MuMA recebe quatro exposições da programação oficial da 14ª Bienal de Curitiba

A inauguração das salas vai acontecer nesta quinta-feira, a partir das 17h, com entrada gratuita.  

Nesta quinta-feira, dia 10 de outubro, o Museu Municipal de Arte (MuMA) recebe quatro exposições que integram a programação da 14ª Bienal Internacional de Arte Contemporânea de Curitiba: “Nômades e Fronteiriços”, “Poema-Processo, A Última Vanguarda”; “Fluindo Naturalmente” e o circuito universitário “CUBIC 4”.
“Nômades e Fronteiriços”, do curador Adolfo Montejo Navas, estará em exibição na Sala Célia Lazarotto. A mostra faz alusão à uma dupla realidade de artistas de outros lugares e culturas, mas adaptados ao Brasil de alguma forma, sendo expoentes de uma dupla vida artística. Os artistas Mira Schendel, Bill Lundberg, Davide Boriani, Patricio Farías, Carlos Clémen, Regina Chulam e Chang Chi Chai trazem corpus estéticos da Suíça, dos Estados Unidos, da Itália, do Chile, da Argentina, de Portugal e da China para outros contornos e situações. O trabalho desses artistas reconhece universos, arestas, mas, sobretudo, formata novos limites.
 Também com curadoria de Navas, será inaugurada na sala Domício Pedroso a exposição “Poema-Processo, A Última Vanguarda”. As obras tratam do que ficou conhecido como a última vanguarda do Brasil: um movimento de ruptura com a poesia visual (1967-1972) que surgiu no período áureo da ditadura e que teve uma intensidade rara, polimórfica, expansiva.
Com curadoria de Tereza de Arruda e Lu Zhengyuan (Fundação ASA – China), a mostra “Fluindo Naturalmente” descreve a harmoniosa relação entre homem e natureza. O conceito não é somente uma reflexão filosófica que se desenvolveu na China por milhares de anos, mas também uma interpretação de “Fronteiras em Aberto”, tema da 14ª Bienal de Curitiba. “Fronteiras em aberto”, no contexto chinês, pode ser interpretado como o poder da harmonia dissolvendo fronteiras entre a mente das pessoas, então os permitindo a interagir com a natureza livremente. A exibição vai se iniciar com arte Chinesa influenciada pela globalização, apresentando a reflexão e experiências de artistas chineses no âmbito do atual ambiente de “globalização cultural”.
 O Circuito Universitário da Bienal Internacional de Curitiba (CUBIC 4) apresenta a produção de 36 jovens artistas em exposições itinerantes na Sala Arte Digital, sob curadoria de Stephanie Dahn Batista, Fabrícia Jordão e Isadora Mattioli. O circuito fomenta o pensamento crítico e o debate, possibilita que a produção teórica e artística produzida no âmbito universitário ganhe visibilidade pública. Desta forma, a 14ª Bienal de Curitiba visa assegurar o acesso e a circulação do conhecimento advindo do campo das artes visuais para todos. Além da Sala de Arte Digital do Museu Municipal de Arte (MuMA), os trabalhos passam também pelo Museu da Gravura do Solar do Barão, pelo Museu de Arte (MusA) e pela Galeria DeArtes da Universidade Federal do Paraná (UFPR). 
A inauguração das exposições será no Museu Municipal de Arte (Avenida República Argentina, 3430), no dia 10 de outubro, a partir das 17h. As mostras podem ser visitadas gratuitamente até 01 de março de 2020. Mais informações no site www.bienaldecuritiba.com.br.
Fotos: divulgação. 



Postagens mais visitadas deste blog

Curitiba 18💙18 distribui 270 toneladas de alimentos

  Campanha de financiamento coletivo arrecada R$ 991.841 em 18 dias em prol de ONGs de Curitiba e Região Metropolitana. Uma campanha em torno do número cabalístico 18. Assim foi a Curitiba 18 18 , uma iniciativa da Comunidade Israelita do Paraná, que foi abraçada por muitos curitibanos, pessoas físicas e jurídicas.   A ação foi inspirada na campanha original de São Paulo, realizada algumas semanas antes. A arrecadação total pela plataforma de financiamento coletivo Benfeitoria foi de R$ 991.841,00, que estão sendo transformados em 270 toneladas de alimentos para mais de 9 mil famílias.   A distribuição já começou e continuará nas próximas semanas, com o apoio logístico da Trans Pizzatto. O número 18 foi escolhido por simbolizar a vida, transformando alimentos em esperança para as famílias mais necessitadas, situação agravada pela pandemia. “18 simboliza ‘chai’, que é vida em hebraico. E o coração, uma ponte para outra vida. Pessoas ajudando pessoas. Uma forma de honrar essa terra que t

Conheça os eventos na Itália e na França que vão celebrar Leonardo da Vinci em 2019

Com 28 de anos de história a Teresa Perez Tours é especialista em criar e reinventar roteiros personalizados e não poderia ficar de fora das comemorações dos    500 anos da morte de Leonardo Da Vinci , no  ano de 2019.  Da Vinci,  considerado, graças às suas contribuições em praticamente todos os campos do conhecimento humano, um dos artistas mais completos que o mundo já conheceu. O gênio italiano morreu no dia 2 de maio de 1519 e, como não poderia deixar de ser, o tema vai inspirar atrações ao longo do ano na Itália, país de origem do artista, e na França, onde passou os últimos dias de sua vida. Na programação, mais de 500 eventos com o objetivo de criar um movimento popular e artístico através de uma programação variada, que aborda temas relacionados à figura do artista e ao Renascimento - período em que viveu -, como arquitetura, gastronomia, artesanato, ciência e inovações tecnológicas.   Legado e raízes na Itália Na Itália, uma série de celebrações estão planejadas e du

Brasil abre 2018 com 16 prêmios para os espumantes brasileiros na Espanha

Vinhos e espumantes são reconhecidos por júri internacional formado por 40 experts A conquista de mais prêmios internacionais para vinhos e espumantes brasileiros começou mais cedo este ano. O país verde e amarelo acaba de conquistar 16 medalhas no Concurso Internacional de Vinos y Espirituosos (CINVE) 2018 , realizado de 12 a 14 de fevereiro no Complexo Cultural de São Francisco, na cidade de Cáceres, na Espanha. A entrega da premiação acontecerá dia 13 de abril no Hotel Villamagna, em Madri .   O concurso reuniu 705 amostras de 14 países. Um júri formado por 40 experts distinguiu quatro vinhos e 12 espumantes brasileiros . O diretor da Associação Brasileira de Enologia (ABE), enólogo Marcos Gabbardo, esteve representando o Brasil e destaca que foi possível avaliar, principalmente, vinhos da Península Ibérica, além de produtores do Novo Mundo e Velho Mundo. “Todas as avaliações foram realizadas às cegas por jurados internacionais, permitindo a valorização da diversidade e qual