Pular para o conteúdo principal

Osteria Capitolina comemora oito anos e segue como única casa da cidade autenticamente italiana


Prestes a completar oito anos de existência, a Osteria Capitolina firmou o nome em Curitiba como o único restaurante da cidade a servir a autêntica gastronomia italiana. 
O respeito às tradições da península mediterrânea está presente em todos os detalhes do simpático espaço localizado no Ahú. A viagem inicia quando o cliente entra na varanda e escuta as principais músicas italianas que escreveram a história da “bota” no último meio século. Nomes como De Andrè, Guccini, Arbo, Venditti, entre outros, embalam o clima. O serviço respeita fielmente os costumes italianos, como está devidamente explicado no prefácio do menu.


A mesa arrumada está pronta para ser desfrutada. O modo de servir começa com um antipasto (entradas), com couvert composto por pães especialmente feitos na casa, fermentados entre 36 e 48 horas, junto com patê de salmão defumado, geleia de pimenta e o xodó da casa, a Burrata di Bufala com azeites aromatizados. 
Massas caseiras e massas grano duro italianas fazem parte dos primi piatti, elaborados para consumo individual. Clássicos como Sua Maestà La Carbonara dividem harmoniosamente o espaço com as criações do chef Massimo Morabito. 


Os secondi piatti são as carnes e peixes, rigorosamente acompanhados de legumes da estação. Destaque para a Bistecca alla Fiorentina, preparada exatamente como se serve em Florença. O ossobuco, a Grigliata Mista di Pesce, o Polpettone e a Cotoletta alla Milanese completam os segundos pratos.
Pratos do dia
Além do menu fixo, o cliente pode encontrar sugestões dos pratos do dia, escritas à mão nos quadros negros fixados nas paredes do restaurante. Preparados com frutos do mar, as sugestões do dia se transformam no momento triunfal da ópera gastronômica. Destaque para o Trionfo di Polpo, que consiste em strozzapreti, massa caseira feita a base de água, vinho branco e farinha, servida ao molho de polvo fresco ensopado, polvo inteiro e regado a muito queijo pecorino. A festa de sabores continua com as sobremesas, servidas com o café e complementos exclusivos, chegando ao gran finale, onde o Limoncello feito na casa encerra uma surpreendente experiência.
Respeito às tradições 
Assim como na Itália, a casa oferece café curto, massa al dente e sugere o consumo individual dos pratos, refutando cordialmente pedidos de carnes e massas como acompanhamento (os acompanhamentos são legumes e batatas) e utilizando apenas azeite extravirgem no preparo (creme de leite e manteiga passam longe), por exemplo. “Respeitamos muito os ingredientes do prato para colocar na mesa do cliente receitas verdadeiramente italianas, com influência da cozinha romana”, garante o chef, Massimiliano Morabito (foto).
A identidade visual do restaurante remete ao mito da fundação de Roma e aos gêmeos Rômulo e Remo que, abandonados à própria sorte em um cesto, foram salvos, amamentados e criados por uma loba. É por essas e outras que a Osteria Capitolina recebeu o selo Ospitalità Italiana, concedido com parcimônia pela Câmara de Comércio de Santa Catarina somente a estabelecimentos que são sinônimo de hospitalidade italiana.
A Osteria Capitolina é a representação da paixão do casal Cibele Michelon e Massimiliano Morabito pela pura gastronomia italiana. Envolvidos com o universo da culinária e trabalhando em meio às panelas – cada um em seu país –, tiveram os caminhos cruzados em 2006, quando Cibele viajou para a Itália para “aprender a cozinhar de verdade” (segundo suas palavras) e iniciou um estágio em um bistrô no centro de Roma, cuja cozinha era comandada justamente por Massimiliano. Já ele, pisou em uma cozinha pela primeira vez aos 14 anos e já registra passagens por mais de 50 restaurantes nos mais variados pontos da Itália, com destaque para o Sans Souci (restaurante estrelado de Roma) e para os anos de aprendizado com o chef Ettore Caporali.
Cinco anos mais tarde, já no Brasil, o casal resolveu abrir as portas da Osteria Capitolina. Integram o cardápio da casa receitas de toda Itália. Destaque para o Spaghetti alla Pescatora, um dos queridinhos da Osteria, preparado com mariscos, vongoles, lula e camarões fresquíssimos, inspirado nos pescadores da Costa Malfitana, que criaram a tradicional receita com as sobras dos peixes de suas redes.  
E é assim, mesclando o conhecimento de Cibele com a prática de Massimiliano, que a Osteria Capitolina comemora oito anos de um trabalho que é sinônimo de respeito à cultura italiana. A casa abre de terça-feira a domingo, com funcionamento no almoço e jantar (de terça-feira a sábado) e apenas no almoço aos domingos.
Funcionamento:
Sábado, das 12h às 16h, das 19h30 às 23h
Domingo, das 12h às 16h
Terça, quarta e quinta, rolha livre no jantar

Serviço – Osteria Capitolina
Rua Eurípedes Garcez do Nascimento, 638 – Ahú, a 300 metros do MON
(41) 3079-8545
Fotos: Divulgação.

Postagens mais visitadas deste blog

Curitiba 18💙18 distribui 270 toneladas de alimentos

  Campanha de financiamento coletivo arrecada R$ 991.841 em 18 dias em prol de ONGs de Curitiba e Região Metropolitana. Uma campanha em torno do número cabalístico 18. Assim foi a Curitiba 18 18 , uma iniciativa da Comunidade Israelita do Paraná, que foi abraçada por muitos curitibanos, pessoas físicas e jurídicas.   A ação foi inspirada na campanha original de São Paulo, realizada algumas semanas antes. A arrecadação total pela plataforma de financiamento coletivo Benfeitoria foi de R$ 991.841,00, que estão sendo transformados em 270 toneladas de alimentos para mais de 9 mil famílias.   A distribuição já começou e continuará nas próximas semanas, com o apoio logístico da Trans Pizzatto. O número 18 foi escolhido por simbolizar a vida, transformando alimentos em esperança para as famílias mais necessitadas, situação agravada pela pandemia. “18 simboliza ‘chai’, que é vida em hebraico. E o coração, uma ponte para outra vida. Pessoas ajudando pessoas. Uma forma de honrar essa terra que t

Conheça os eventos na Itália e na França que vão celebrar Leonardo da Vinci em 2019

Com 28 de anos de história a Teresa Perez Tours é especialista em criar e reinventar roteiros personalizados e não poderia ficar de fora das comemorações dos    500 anos da morte de Leonardo Da Vinci , no  ano de 2019.  Da Vinci,  considerado, graças às suas contribuições em praticamente todos os campos do conhecimento humano, um dos artistas mais completos que o mundo já conheceu. O gênio italiano morreu no dia 2 de maio de 1519 e, como não poderia deixar de ser, o tema vai inspirar atrações ao longo do ano na Itália, país de origem do artista, e na França, onde passou os últimos dias de sua vida. Na programação, mais de 500 eventos com o objetivo de criar um movimento popular e artístico através de uma programação variada, que aborda temas relacionados à figura do artista e ao Renascimento - período em que viveu -, como arquitetura, gastronomia, artesanato, ciência e inovações tecnológicas.   Legado e raízes na Itália Na Itália, uma série de celebrações estão planejadas e du

Brasil abre 2018 com 16 prêmios para os espumantes brasileiros na Espanha

Vinhos e espumantes são reconhecidos por júri internacional formado por 40 experts A conquista de mais prêmios internacionais para vinhos e espumantes brasileiros começou mais cedo este ano. O país verde e amarelo acaba de conquistar 16 medalhas no Concurso Internacional de Vinos y Espirituosos (CINVE) 2018 , realizado de 12 a 14 de fevereiro no Complexo Cultural de São Francisco, na cidade de Cáceres, na Espanha. A entrega da premiação acontecerá dia 13 de abril no Hotel Villamagna, em Madri .   O concurso reuniu 705 amostras de 14 países. Um júri formado por 40 experts distinguiu quatro vinhos e 12 espumantes brasileiros . O diretor da Associação Brasileira de Enologia (ABE), enólogo Marcos Gabbardo, esteve representando o Brasil e destaca que foi possível avaliar, principalmente, vinhos da Península Ibérica, além de produtores do Novo Mundo e Velho Mundo. “Todas as avaliações foram realizadas às cegas por jurados internacionais, permitindo a valorização da diversidade e qual