Pular para o conteúdo principal

CVRA apresenta a rota do enoturismo no Alentejo

Descubra Évora, localidade foi nomeada pela UNESCO Patrimônio da humanidade
• Repleta de atrativos para todos os perfis e estilos, herdades, disponibilizam hospedagem e restaurante (um deles estrela Michelin), aos visitantes, tornando a sua experiência ímpar
• Região tem cerca de 22 mil hectares de vinhedos e uma média de 300 dias de sol por ano. O Alentejo já recebeu sete prêmios como o melhor destino para o enoturismo.
Esqueça a movimentação intensa de Lisboa e de outras capitais europeias. 
Viajar para o Alentejo é como voltar ao passado e se deparar com uma Europa rural, calma e aconchegante. É nessa região, à margem Sul do rio Tejo – que corre vindo da Espanha até Lisboa, - e se estende até ao extremo sul do país onde faz fronteira com o Algarve – que se esconde um Portugal profundo, onde o tempo segue seu próprio ritmo. Trata-se de uma zona agrícola portuguesa, que soma a boa comida e os excelentes vinhos a uma atmosfera de paz e tranquilidade, onde se vive a tradição aliada à modernidade.
Apesar de ocupar mais de um terço do território do país, o Alentejo concentra apenas um décimo de sua população. Dá para entender porque o silêncio, um luxo nas grandes cidades, é tão marcante por lá. Alia-se a isso os cerca de 22 mil hectares de vinhedos e uma média de 300 dias de sol por ano, e pronto: nasce o destino ideal para quem quer fugir do burburinho durante as férias.
É também no Alentejo que se produz quase metade do vinho certificado de Portugal, o que faz com que muitos classifiquem a região como uma "nova Toscana" – em uma versão bem mais acessível que a original italiana. A classificação se justifica pelo clima marcado por verões quentes com noites frias e o solo, formado por cal, argila, areia e magnésio. Essas condições proporcionam a produção de uvas especiais, que dão o sabor, a maciez e a cor viva que distinguem os vinhos alentejanos. Merecem destaque as castas tradicionais portuguesas Trincadeira e Aragonez.
Engana-se quem pensa que é preciso ser um especialista em vinhos para desvendar os segredos do Alentejo. A região, que desde 2014 já recebeu cerca de sete prêmios avaliando-a como a melhor no mundo para o enoturismo, incluindo de jornais como o New York Times e o USA Today, abre as portas para todos os tipos de turistas. Do simples apreciador ao verdadeiro connoisseur, há opções de passeios completos, que funcionam como visitas guiadas em um museu. De carro, a pé ou bicicleta, é possível conhecer as vinícolas e o processo de fabricação da bebida desde a origem. Assim como a língua, os sabores também nos aproximam de nossos ancestrais portugueses. Cheia de personalidade, a comida do Alentejo é substanciosa, casando perfeitamente com os encorpados vinhos da região.
Herdades
Para quem busca viver a experiência na terrinha de forma completa, a melhor opção é se hospedar e provar os sabores das herdades, nome dado às grandes áreas rurais, como quintas e fazendas, a Comissão Vitivinícola Regional Alentejana (CVRA), organismo que controla a qualidade e protege os vinhos da região, apresenta a rota dos Vinhos do Alentejo com algumas opções de enoturismo, gastronomia, lazer e entrenimento.
Cada propriedade pode contar com vinhas, nas quais estão as parreiras e também as oliveiras; vinícolas, onde são produzidos os vinhos; e ainda podem ter hotéis, restaurantes, spas e áreas dedicadas apenas à degustação e visitas guiadas.
No Alentejo são cinco herdades com hospedagem (Casa de Santa Vitória, Malhadinha Nova, Sobroso, Monte do Vau, São Lourenço do Barrocal e Grous) e quatro com restaurante (Servas, Ribafreixo Wines, Quinta do Quetzal e Esporão). Veja abaixo mais informações de cada uma delas:

Herdade da Malhadinha Nova

Localizada a 1 km da Auto-Estrada IP2, a Malhadinha Nova oferece um verdadeiro descanso cinco estrelas com piscina panorâmica, spa, banheira de hidromassagem e banho turco. Tudo isso em um ambiente totalmente rural. Exclusivo, o hotel possui apenas 10 quartos.
Os hóspedes podem desfrutar dos tradicionais pratos da região, como bacalhau com azeite orgânico, lombinho de porco preto e galinha do campo. As refeições são servidas no belo restaurante do hotel, com vista para o campo, ou ao ar livre, junto às videiras. O bar serve vinho de produção própria.
Entre as opções de programas, além da degustação e visita à adega, estão passeios a cavalo, canoagem e de balão.

Herdade do Sobroso

Localizada no município da Vidigueira, a 9 km do lago do Alqueva, a propriedade, que tem 1600 hectares, produz o próprio vinho, tinto em sua maioria. Entre as vinhas dominantes estão Aragonez, Alicante Bouschet, Cabernet Sauvignon, Syrah, Alfrocheiro e Trincadeira. Já os vinhos brancos provêm essencialmente das castas Antão Vaz, Arinto e Perrum. São oferecidas diferentes modalidades de visitas guiadas e degustações e também cursos de iniciação.
A herdade oferece aos hóspedes passeios pelas redondezas da propriedade, para que conheçam as paisagens do Alentejo. É possível ainda conhecer a região livremente, de bicicleta, ou fazer um passeio de balão sobre o lago do Alqueva.

Casa de Santa Vitória

Focada na produção e comercialização de vinhos alentejanos, a Casa de Santa Vitória foi projetada para receber o visitante com conforto. O local tem sala de exposições, logo acima da adega, e uma sala de provas com posição privilegiada, onde se pode admirar o pôr do sol na planície do Alentejo.
A propriedade também conta com o Vila Galé Clube de Campo, hotel da rede com arquitetura e decoração inspiradas na paisagem alentejana. O hotel oferece opções para o lazer de casais e famílias com filhos – incluindo piscinas, quadra de tênis e atividades como passeio de jipe, canoa e até mesmo de balão.
Saiba mais: www.santavitoria.pt

Herdade Monte do Vau

Ao hospedar-se na Herdade Monte do Vau, o visitante tem a oportunidade de desfrutar do conceito de propriedade "biochic", que alia o conforto à sustentabilidade, proporcionando uma simplicidade elegante.
A Herdade Monte do Vau produz vinhos e organiza sessões de degustação em uma sala com vista para os vinhedos e o lago. É possível desfrutar de um piquenique à beira do lago ou relaxar junto à lareira aconchegante da sala de estar, ideal para ler um livro ou conversar.
Localizada próximo ao Rio Guadiana, essa propriedade está no centro de um triângulo formado por três cidades históricas – Beja, Serpa e Mértola, e a apenas 30 minutos da fronteira com a Espanha.

Herdade dos Grous

A Herdade dos Grous é uma propriedade rural isolada, com mais de 687 hectares, com vinhas próprias e florestas de cortiça. Conta também com um moderno bar de vinhos para degustação. Além disso, o visitante tem a chance de conhecer as plantações de oliveiras.
Nos dias de calor, os hóspedes podem passear pelos jardins, onde tem um lago artificial, ou aproveitar a piscina. São oferecidos passeios a cavalo, quadras de tênis, sauna e sessão de massagem relaxante.

Herdade São Lourenço do Barrocal

Localizado aos pés de Monsaraz e próximo ao lago Alqueva, está uma propriedade de 780 hectares que pertence a uma mesma família há mais de 200 anos. A herdade abriga vinhas centenárias, que dão origem a vinhos de primeira categoria sob marca exclusiva. São Lourenço do Barrocal conta com hotel de luxo despretensioso, que dispõe de quartos e casas para a estadia.
Cercado por flores silvestres, pomar e horta, o hotel oferece passeios a cavalo e de bicicleta, além de piqueniques e degustação de vinhos. Há também um SPA, com tratamentos que utilizam apenas produtos naturais. Na mesma linha, o restaurante do hotel resgata o conceito farm to table, sempre com alimentos frescos produzidos nas melhores quintas locais.
Saiba mais: barrocal.pt/pt

Herdade das Servas

A Herdade das Servas abriga uma das mais antigas famílias produtoras de vinho no Alentejo. Os irmãos Serrano Mira partilham a experiência e tradição na criação de vinhos típicos da região. Na Herdade, são feitas visitações da adega, cave, vinhas e jardins. Os horários das atividades estão disponíveis no site.

Ribafreixo Wines

Eleito o melhor projeto de enoturismo do Alentejo, o Ribafreixo dispõe de loja de vinhos, área de lazer com vista para as vinhas, sala de provas e restaurante. O atendimento bilíngue e personalizado atrai turistas do mundo todo.
Saiba mais: ribafreixo.com/home


Quinta do Quetzal

A Quinta do Quetzal fica na encosta da Vidigueira, perto da mais antiga adega romana de que há registro na Península Ibérica. Devido ao clima da região e das características do solo, rico em xisto, produz uvas diferenciadas, sempre em quantidades limitadas. Apesar de moderna, a adega preserva antigas tradições e técnicas de produção romanas e alentejanas. É possível agendar uma visita à Quinta e às adegas, e o Quetzal ainda conta com galeria de arte, loja e restaurante próprios.

Herdade do Esporão

A Herdade do Esporão recebe visitantes diariamente, prontos a caminhar pelas vinhas e hortas da propriedade, onde são desenvolvidas técnicas de plantação sustentáveis. Durante o passeio, o guia conta um pouco da história da região e desvenda os segredos da produção de vinhos. Ao final da visita, é possível conhecer a adega e colocar o paladar à prova com três diferentes vinhos e azeites. O passeio também pode ser feito de bicicleta, mediante reserva.
Além dessas, a região possui outras 60 vinícolas abertas à visitação. Confira algumas: Cabeças do ReguengoHerdade da RochaTorre de Palma Wine HotelMonte da Comenda GrandeHerdade da CaladaHerdade da Mingorra. Para saber mais, acesse o site das rotas dos vinhos.

SOBRE A CVRA – Comissão Vitivinícola Regional Alentejana

A Comissão Vitivinícola Regional Alentejana (CVRA) foi criada em 1989 e é um organismo de direito privado e utilidade pública que certifica, controla e protege os vinhos DOC Alentejo e os vinhos Regional Alentejano.

É também responsável pela promoção dos Vinhos do Alentejo, no mercado português e em mercados-alvo internacionais. Sua atividade é financiada através da venda dos selos de garantia que integram os contrarrótulos dos Vinhos do Alentejo.
Para mais informações acesse: www.vinhosdoalentejo.pt

Postagens mais visitadas deste blog

Curitiba 18💙18 distribui 270 toneladas de alimentos

  Campanha de financiamento coletivo arrecada R$ 991.841 em 18 dias em prol de ONGs de Curitiba e Região Metropolitana. Uma campanha em torno do número cabalístico 18. Assim foi a Curitiba 18 18 , uma iniciativa da Comunidade Israelita do Paraná, que foi abraçada por muitos curitibanos, pessoas físicas e jurídicas.   A ação foi inspirada na campanha original de São Paulo, realizada algumas semanas antes. A arrecadação total pela plataforma de financiamento coletivo Benfeitoria foi de R$ 991.841,00, que estão sendo transformados em 270 toneladas de alimentos para mais de 9 mil famílias.   A distribuição já começou e continuará nas próximas semanas, com o apoio logístico da Trans Pizzatto. O número 18 foi escolhido por simbolizar a vida, transformando alimentos em esperança para as famílias mais necessitadas, situação agravada pela pandemia. “18 simboliza ‘chai’, que é vida em hebraico. E o coração, uma ponte para outra vida. Pessoas ajudando pessoas. Uma forma de honrar essa terra que t

Conheça os eventos na Itália e na França que vão celebrar Leonardo da Vinci em 2019

Com 28 de anos de história a Teresa Perez Tours é especialista em criar e reinventar roteiros personalizados e não poderia ficar de fora das comemorações dos    500 anos da morte de Leonardo Da Vinci , no  ano de 2019.  Da Vinci,  considerado, graças às suas contribuições em praticamente todos os campos do conhecimento humano, um dos artistas mais completos que o mundo já conheceu. O gênio italiano morreu no dia 2 de maio de 1519 e, como não poderia deixar de ser, o tema vai inspirar atrações ao longo do ano na Itália, país de origem do artista, e na França, onde passou os últimos dias de sua vida. Na programação, mais de 500 eventos com o objetivo de criar um movimento popular e artístico através de uma programação variada, que aborda temas relacionados à figura do artista e ao Renascimento - período em que viveu -, como arquitetura, gastronomia, artesanato, ciência e inovações tecnológicas.   Legado e raízes na Itália Na Itália, uma série de celebrações estão planejadas e du

Brasil abre 2018 com 16 prêmios para os espumantes brasileiros na Espanha

Vinhos e espumantes são reconhecidos por júri internacional formado por 40 experts A conquista de mais prêmios internacionais para vinhos e espumantes brasileiros começou mais cedo este ano. O país verde e amarelo acaba de conquistar 16 medalhas no Concurso Internacional de Vinos y Espirituosos (CINVE) 2018 , realizado de 12 a 14 de fevereiro no Complexo Cultural de São Francisco, na cidade de Cáceres, na Espanha. A entrega da premiação acontecerá dia 13 de abril no Hotel Villamagna, em Madri .   O concurso reuniu 705 amostras de 14 países. Um júri formado por 40 experts distinguiu quatro vinhos e 12 espumantes brasileiros . O diretor da Associação Brasileira de Enologia (ABE), enólogo Marcos Gabbardo, esteve representando o Brasil e destaca que foi possível avaliar, principalmente, vinhos da Península Ibérica, além de produtores do Novo Mundo e Velho Mundo. “Todas as avaliações foram realizadas às cegas por jurados internacionais, permitindo a valorização da diversidade e qual