Pular para o conteúdo principal

Comida di Buteco 2018

Com tema livre, a edição 2018 do Comida di Buteco deste ano, acontece de 13 de abril a 06 de maio, com vinte bares participantes e os petiscos concorrentes.
O Comida di Buteco chega a sua 4ª edição em Curitiba e desta vez vinte bares concorrem ao título de melhor boteco da cidade. A competição acontece de 13 de abril a 06 de maio. Para participar do concurso, os bares tiveram que criar um petisco. Nesta edição o tema é livre, ou seja, a imaginação pode e deve correr solta. O valor máximo a ser cobrado pelo tira-gosto é de R$ 25,90. E outro detalhe: não existem petiscos iguais!
 O processo de seleção para participar do Comida di Buteco começa com a indicação do público. Após visita técnica saem os escolhidos. Para fazer parte do concurso é importante que o bar se encaixe em um perfil: os estabelecimentos devem ser familiares, com o proprietário literalmente à frente do negócio e atrás do balcão no dia a dia.
O principal objetivo do Comida di Buteco é ser uma plataforma de transformação social para esses botecos. “Nenhum bar paga para participar do Comida di Buteco. Nossa intenção é que o concurso o ajude a trazer clientes novos para a sua casa e assim contribuir para a manutenção desses locais num mercado tão concorrido e vulnerável”, explica Filipe Pereira, organizador do concurso. 
Como funciona – O Comida di Buteco foi criado há 19 anos em Belo Horizonte, Minas Gerais. Hoje o concurso já está em todas as regiões do País. Além de Curitiba, outras 20 cidades recebem a competição simultaneamente: Belém, Belo Horizonte, Brasília, Campinas, Fortaleza, Florianópolis, Goiânia, Juiz de Fora, Manaus, Montes Claros, Poços de Caldas, Porto Alegre, Recife, Ribeirão Preto, Rio de Janeiro, Salvador, São José do Rio Preto, São Paulo, Uberlândia e Vale do Aço. 
Ao longo dos 24 dias de concurso todos os botecos são avaliados pelo público que vai até o bar comer o petisco participante e por um corpo de jurados mantidos sob sigilo. O peso dos votos de cada um deles é de 50% e vai decidir o melhor boteco da cidade. Além do tira-gosto, que contempla 70% da nota, a qualidade do atendimento, a higiene do local e a temperatura da bebida também são avaliadas e têm o peso de 10% cada.  
 O Comida di Buteco é o único concurso que elege o vencedor com votação presencial. Cada cliente que provar o petisco recebe uma cédula de votação no bar e tem que dar sua avaliação no local. Cada critério é avaliado com nota de 0 a 10. É possível votar apenas uma vez em cada bar. A avaliação é qualitativa e não quantitativa. 
Ao final o instituto de pesquisa Vox Populi faz a apuração do grande vencedor, que recebe premiação dos patrocinadores do evento. Após a escolha do melhor boteco de cada uma das 21 cidades participantes ainda acontece uma eleição nacional para eleger o melhor boteco do Brasil. Essa eleição é decidida apenas com o voto de um júri especializado que viaja o País para dar sua nota. 
O Comida di Buteco é 100% viabilizado com investimento de empresas que acreditam na sua causa, como plataforma de desenvolvimento de suas marcas.
SERVIÇO:
Comida di Buteco em Curitiba
De 13/04 a 06/05

Fotos: Marta Cavalcanti

Postagens mais visitadas deste blog

Curitiba 18💙18 distribui 270 toneladas de alimentos

  Campanha de financiamento coletivo arrecada R$ 991.841 em 18 dias em prol de ONGs de Curitiba e Região Metropolitana. Uma campanha em torno do número cabalístico 18. Assim foi a Curitiba 18 18 , uma iniciativa da Comunidade Israelita do Paraná, que foi abraçada por muitos curitibanos, pessoas físicas e jurídicas.   A ação foi inspirada na campanha original de São Paulo, realizada algumas semanas antes. A arrecadação total pela plataforma de financiamento coletivo Benfeitoria foi de R$ 991.841,00, que estão sendo transformados em 270 toneladas de alimentos para mais de 9 mil famílias.   A distribuição já começou e continuará nas próximas semanas, com o apoio logístico da Trans Pizzatto. O número 18 foi escolhido por simbolizar a vida, transformando alimentos em esperança para as famílias mais necessitadas, situação agravada pela pandemia. “18 simboliza ‘chai’, que é vida em hebraico. E o coração, uma ponte para outra vida. Pessoas ajudando pessoas. Uma forma de honrar essa terra que t

Conheça os eventos na Itália e na França que vão celebrar Leonardo da Vinci em 2019

Com 28 de anos de história a Teresa Perez Tours é especialista em criar e reinventar roteiros personalizados e não poderia ficar de fora das comemorações dos    500 anos da morte de Leonardo Da Vinci , no  ano de 2019.  Da Vinci,  considerado, graças às suas contribuições em praticamente todos os campos do conhecimento humano, um dos artistas mais completos que o mundo já conheceu. O gênio italiano morreu no dia 2 de maio de 1519 e, como não poderia deixar de ser, o tema vai inspirar atrações ao longo do ano na Itália, país de origem do artista, e na França, onde passou os últimos dias de sua vida. Na programação, mais de 500 eventos com o objetivo de criar um movimento popular e artístico através de uma programação variada, que aborda temas relacionados à figura do artista e ao Renascimento - período em que viveu -, como arquitetura, gastronomia, artesanato, ciência e inovações tecnológicas.   Legado e raízes na Itália Na Itália, uma série de celebrações estão planejadas e du

Brasil abre 2018 com 16 prêmios para os espumantes brasileiros na Espanha

Vinhos e espumantes são reconhecidos por júri internacional formado por 40 experts A conquista de mais prêmios internacionais para vinhos e espumantes brasileiros começou mais cedo este ano. O país verde e amarelo acaba de conquistar 16 medalhas no Concurso Internacional de Vinos y Espirituosos (CINVE) 2018 , realizado de 12 a 14 de fevereiro no Complexo Cultural de São Francisco, na cidade de Cáceres, na Espanha. A entrega da premiação acontecerá dia 13 de abril no Hotel Villamagna, em Madri .   O concurso reuniu 705 amostras de 14 países. Um júri formado por 40 experts distinguiu quatro vinhos e 12 espumantes brasileiros . O diretor da Associação Brasileira de Enologia (ABE), enólogo Marcos Gabbardo, esteve representando o Brasil e destaca que foi possível avaliar, principalmente, vinhos da Península Ibérica, além de produtores do Novo Mundo e Velho Mundo. “Todas as avaliações foram realizadas às cegas por jurados internacionais, permitindo a valorização da diversidade e qual