Pular para o conteúdo principal

TROC tem foco na venda online de peças de consagradas e desejadas marcas nacionais e internacionais

À frente da empresa, casal de curitibanos formatou e deu vida a uma ideia nascida em universidades norte-americanas. Hoje, o TROC conta com 5 mil peças de roupas, bolsas e acessórios
O TROC (www.troc.com.br) foi idealizado por Luanna Toniolo Domakoski (30) e por Henrique Domakoski (32), e lançado oficialmente em dezembro de 2016, depois de quase um ano de projeto. “Há outras plataformas disponíveis para a venda de roupas usadas no Brasil, mas da forma como fazemos, é um serviço inédito. Nosso modelo de negócio orienta as vendedoras para que nos enviem, sem burocracia, todas as peças que não usam mais, mas que estejam em ótimo estado e dentro da lista de marcas que aceitamos”, diz Luanna. O TROC nasceu nos corredores das universidades norte-americanas Harvard e Massachusetts Institute of Technology (MIT), onde Luanna e Henrique obtiveram suas últimas especializações – ela em Gestão Estratégica, com foco em comportamento do consumidor e gestão de marketing (Harvard), e ele em Business (MIT). “A ideia surgiu ainda nos Estados Unidos, durante nossos estudos. Ao voltarmos para o Brasil, em janeiro de 2016, iniciamos o Primary Marketing Research do negócio, que é a pesquisa de campo para analisar o comportamento das mulheres brasileiras quanto ao interesse em vender e comprar roupas usadas. Saímos às ruas e nossa pesquisa contemplou das filas de padarias aos bairros mais nobres”, lembra Henrique. Com a viabilidade constatada, em abril do mesmo ano o casal contratou um profissional de desenvolvimento para tirar a ideia do papel e desenhar todas as ferramentas que hoje existem no site. Ao mesmo tempo, passou a enviar mensagens para amigas, com o objetivo de angariar as mil primeiras peças para venda. Em dezembro, com a plataforma pronta, o TROC entrou no ar com 1500 peças de roupas no acervo. “A ideia sempre foi proporcionar um ambiente seguro e fácil, tanto para vendedoras como compradoras, buscando solucionar o problema do acúmulo de roupas das mulheres de forma rápida e lucrativa”, resume Luanna. Quem decidir vender suas roupas de marca no TROC não precisa se preocupar com nada, nem com o envio, que é bancado pelo próprio site. Das fotos à precificação, incluindo as dúvidas das compradoras, tudo cabe à equipe do TROC. “Cada vez que uma peça é comprada, informamos a vendedora e logo creditamos o valor em sua conta”, continua Luanna. Ela explica, ainda, que o TROC surgiu para desbanalizar a expressão “roupas usadas”. “Trabalhamos com peças secondhand (segunda mão, em português), mas não temos problema em dizer que são peças usadas. Afinal, muitas vezes trabalhamos com roupas que as pessoas jamais viram no país, por exemplo. Fazemos um trabalho de curadoria muito criterioso, uma vez que não aceitamos peças com qualquer marca de uso, manchas ou incompletas. Isso faz com que nossas compradoras se surpreendam com o produto que recebem em casa”, diz. As peças que não passam pela seleção, são devolvidas à dona.  
A inspiração, segundo Henrique, veio de estudos que apontam que mulheres do mundo todo usam apenas de 20% a 30% de seus guarda-roupas. Aliado a isso, Henrique é entusiasta do customer service (ou serviço ao cliente, na tradução literal) dos varejistas norte-americanos e da forma como a cultura do desapego e do secondhand é sedimentada entre os europeus. “Por termos passado algum tempo na Finlândia e nos Estados Unidos, nossas maiores inspirações também vêm de lá. Entre elas, negócios como The RealReal e ThredUP”, diz ele. Com atuais 6 mil peças no acervo (Luanna e Henrique precisaram alugar um galpão comercial de 500m² para ser o novo ‘QG’ do negócio), o TROC conta com dez profissionais em sua equipe, entre sócios-fundadores, sócia relações-públicas, equipe de curadoria e recebimento das peças, fotógrafos, desenvolvedores/TI e setor administrativo. As clientes (vendedoras e compradoras) estão distribuídas por todo o país, de norte a sul. “Quanto mais o site se torna conhecido, mais peças recebemos de fora do estado. Isso é ótimo porque confere grande diversidade ao nosso acervo”, avalia Luanna. Só na última quinzena, o TROC recebeu 800 novas peças, todas originais. Ou seja, falsificações ou réplicas não passam pela curadoria. Hoje, o site oferece desde peças básicas para o dia a dia, a itens especialmente desejados entre as mulheres, como bolsas e sapatos de marcas como Chanel, Valentino e Hermès. “Temos um cuidado especial quando falamos em peças com alto valor agregado, como bolsas, sapatos e acessórios de luxo. Toda a autenticação desses itens é feita por especialistas, o que torna comprar no TROC uma decisão 100% segura”, ressalta Henrique. Entre 400 marcas nacionais e internacionais disponíveis, destacam-se grifes como Lita Mortari, Mixed, Reinaldo Lourenço, Gloria Coelho, Chanel, Valentino, Hermès, Balenciaga e Christian Louboutin. A economia em relação a uma peça nova gira entre 70% e 80% do valor pago nas lojas. “Muitas mulheres nos enviam peças até mesmo com etiqueta, que representam cerca de 10% de nosso acervo. Além disso, temos parcerias com alguns estoques de marcas premium, o que nos permite oferecer descontos incríveis no preço da etiqueta”, diz Luanna. O TROC tem acesso ao acervo das marcas geralmente com a chegada de uma nova coleção às araras das lojas. A expectativa, para os próximos 12 meses, é ampliar ainda mais o acervo e se tornar a primeira opção às mulheres que desejam desapegar de peças de marcas premium e luxo. “Nosso objetivo é crescer organizadamente, até que sejamos referência no país em venda de peças usadas, ao mesmo tempo em que nos tornamos o segredo das mulheres bem vestidas. Para quem compra, é o lugar perfeito para achar algumas peças dos sonhos, em ótimo estado e por preços jamais vistos antes. Para quem vende, é uma forma prática e segura de vender “ativos” que muitas nem imaginavam ter em casa”, encerra Henrique.

Serviço:
TROC
Contato: contato@troc.com.br | (41) 3285-7794 e (41) 99777-3976..
Foto: Divulgação 

Postagens mais visitadas deste blog

Curitiba 18💙18 distribui 270 toneladas de alimentos

  Campanha de financiamento coletivo arrecada R$ 991.841 em 18 dias em prol de ONGs de Curitiba e Região Metropolitana. Uma campanha em torno do número cabalístico 18. Assim foi a Curitiba 18 18 , uma iniciativa da Comunidade Israelita do Paraná, que foi abraçada por muitos curitibanos, pessoas físicas e jurídicas.   A ação foi inspirada na campanha original de São Paulo, realizada algumas semanas antes. A arrecadação total pela plataforma de financiamento coletivo Benfeitoria foi de R$ 991.841,00, que estão sendo transformados em 270 toneladas de alimentos para mais de 9 mil famílias.   A distribuição já começou e continuará nas próximas semanas, com o apoio logístico da Trans Pizzatto. O número 18 foi escolhido por simbolizar a vida, transformando alimentos em esperança para as famílias mais necessitadas, situação agravada pela pandemia. “18 simboliza ‘chai’, que é vida em hebraico. E o coração, uma ponte para outra vida. Pessoas ajudando pessoas. Uma forma de honrar essa terra que t

Conheça os eventos na Itália e na França que vão celebrar Leonardo da Vinci em 2019

Com 28 de anos de história a Teresa Perez Tours é especialista em criar e reinventar roteiros personalizados e não poderia ficar de fora das comemorações dos    500 anos da morte de Leonardo Da Vinci , no  ano de 2019.  Da Vinci,  considerado, graças às suas contribuições em praticamente todos os campos do conhecimento humano, um dos artistas mais completos que o mundo já conheceu. O gênio italiano morreu no dia 2 de maio de 1519 e, como não poderia deixar de ser, o tema vai inspirar atrações ao longo do ano na Itália, país de origem do artista, e na França, onde passou os últimos dias de sua vida. Na programação, mais de 500 eventos com o objetivo de criar um movimento popular e artístico através de uma programação variada, que aborda temas relacionados à figura do artista e ao Renascimento - período em que viveu -, como arquitetura, gastronomia, artesanato, ciência e inovações tecnológicas.   Legado e raízes na Itália Na Itália, uma série de celebrações estão planejadas e du

Brasil abre 2018 com 16 prêmios para os espumantes brasileiros na Espanha

Vinhos e espumantes são reconhecidos por júri internacional formado por 40 experts A conquista de mais prêmios internacionais para vinhos e espumantes brasileiros começou mais cedo este ano. O país verde e amarelo acaba de conquistar 16 medalhas no Concurso Internacional de Vinos y Espirituosos (CINVE) 2018 , realizado de 12 a 14 de fevereiro no Complexo Cultural de São Francisco, na cidade de Cáceres, na Espanha. A entrega da premiação acontecerá dia 13 de abril no Hotel Villamagna, em Madri .   O concurso reuniu 705 amostras de 14 países. Um júri formado por 40 experts distinguiu quatro vinhos e 12 espumantes brasileiros . O diretor da Associação Brasileira de Enologia (ABE), enólogo Marcos Gabbardo, esteve representando o Brasil e destaca que foi possível avaliar, principalmente, vinhos da Península Ibérica, além de produtores do Novo Mundo e Velho Mundo. “Todas as avaliações foram realizadas às cegas por jurados internacionais, permitindo a valorização da diversidade e qual