Pular para o conteúdo principal

O menu de inverno do La Varenne está delicioso e com novidades extras






Ontem fui conferir as oito opções extras, dentro do menu saboroso de inverno do La Varenne, e vou dizer: foi uma experiência para agradar todos os sentidos. Maravilhoso! Oficialmente, o inverno começa no dia 21 de junho, mas no restaurante instalado lindamente no Pátio Batel, já é possível degustar as sugestões de inverno selecionadas pelos chefs Mayra Batista e Felipe Miyake. O cardápio mantêm o foco na gastronomia franco-italiana com adaptações para o gosto do brasileiro. Dentre as opções de pratos principais selecionados para aquecer bem os dias de frio, estão o já conhecido e tradicional francês feito no vinho tinto, Coq au vin com legumes (R$ 82); Jarret de vitela ao molho rústico com risoto de açafrão (R$ 89) e os novidades que seguem.
São três opções de entradas. A primeira italianíssima, Gnocchi alla Romana sobre ragú de tomates (R$ 32), e duas sopas de origem francesa que estão sujeitas à disponibilidade no dia. A novidade extra fica por conta do Raclette que o La Varenne está trazendo para compor com outros pratos.
Crème de petit pois com boursin – ervilhas frescas, queijo cremoso de cabra e brotos de beterraba (R$ 32). Para o chef Felipe, “sopas clássicas francesas são aromáticas e quentes, e combinam muito com o nosso clima e com o gosto dos curtibanos”.
Soup à l’oignon - aromática sopa de cebola que leva ervas frescas, cognac, vinho do Porto e acompanha torrada de brioche com queijo gruyére (R$ 38);
Mezzaluna de batata recheada de rabada ao próprio molho do assado com brotos de agrião (R$ 72).
Linguini ao vôngole com abobrinha e tomate concassê sempre sujeito à temporada do marisco (R$ 86).

Entre os pratos selecionados para esta experiência gastronômica com o famoso queijo Racllette foi o Filé mignon grelhado (R$ 115) ou o Entrecote grelhado (R$ 106), ambos acompanhados com purê de batatas assadas no sal grosso e, claro, o raclette.  Outra sugestão dos chefs é adicionar uma porção de raclette (R$ 30) ao couvert ou demais pratos do cardápio como o Gnocchi alla Romana, por exemplo.
Para a chef Mayra, “nada melhor que uma sobremesa com chocolate para finalizar esse cardápio quente”. A sugestão é a Delices au Chocolat (R$ 38) - uma verdadeira experiência de texturas e mix de sabores a partir do chocolate cuja primeira camada é um bolinho feito de chocolate meio amargo sem farinha, mousse de chocolate ao leite, mini profiterolis recheados com ganache crocante e completada com calda de chocolate ao leite quente.

Outra nova sobremesa do cardápio regular da casa é a Nuage de Cumaru (R$ 35), que leva frutas amarelas tropicais cozidas em baixa temperatura e tuille de aveia. Uma união de sabores espetaculares.
Para acompanhar  os novos pratos de inverno regados a Raclette, o sommelier José Vinícius Chupil está com uma seleção de ótimos vinhos como o espanhol Rioja Bordon Reserva safra 2011 que pode ser pedido em garrafa (R$ 142) ou em taça (R$ 36).
As sugestões de inverno são servidas diariamente, tanto no horário de almoço como no jantar, com exceção do raclette que será apenas no jantar.  E você já sabe, o elegante La Varenne fica no Pátio Batel, Avenida do Batel, 1.868 – Piso L4. Reservas: (41) 3044-6600.
Crédito das Fotos: Renata Chede (chefs); Thamires Valério (pratos) e Márcia Toccafondo. Sobremesas: Vanessa Kosop.


Postagens mais visitadas deste blog

Curitiba 18💙18 distribui 270 toneladas de alimentos

  Campanha de financiamento coletivo arrecada R$ 991.841 em 18 dias em prol de ONGs de Curitiba e Região Metropolitana. Uma campanha em torno do número cabalístico 18. Assim foi a Curitiba 18 18 , uma iniciativa da Comunidade Israelita do Paraná, que foi abraçada por muitos curitibanos, pessoas físicas e jurídicas.   A ação foi inspirada na campanha original de São Paulo, realizada algumas semanas antes. A arrecadação total pela plataforma de financiamento coletivo Benfeitoria foi de R$ 991.841,00, que estão sendo transformados em 270 toneladas de alimentos para mais de 9 mil famílias.   A distribuição já começou e continuará nas próximas semanas, com o apoio logístico da Trans Pizzatto. O número 18 foi escolhido por simbolizar a vida, transformando alimentos em esperança para as famílias mais necessitadas, situação agravada pela pandemia. “18 simboliza ‘chai’, que é vida em hebraico. E o coração, uma ponte para outra vida. Pessoas ajudando pessoas. Uma forma de honrar essa terra que t

Conheça os eventos na Itália e na França que vão celebrar Leonardo da Vinci em 2019

Com 28 de anos de história a Teresa Perez Tours é especialista em criar e reinventar roteiros personalizados e não poderia ficar de fora das comemorações dos    500 anos da morte de Leonardo Da Vinci , no  ano de 2019.  Da Vinci,  considerado, graças às suas contribuições em praticamente todos os campos do conhecimento humano, um dos artistas mais completos que o mundo já conheceu. O gênio italiano morreu no dia 2 de maio de 1519 e, como não poderia deixar de ser, o tema vai inspirar atrações ao longo do ano na Itália, país de origem do artista, e na França, onde passou os últimos dias de sua vida. Na programação, mais de 500 eventos com o objetivo de criar um movimento popular e artístico através de uma programação variada, que aborda temas relacionados à figura do artista e ao Renascimento - período em que viveu -, como arquitetura, gastronomia, artesanato, ciência e inovações tecnológicas.   Legado e raízes na Itália Na Itália, uma série de celebrações estão planejadas e du

Brasil abre 2018 com 16 prêmios para os espumantes brasileiros na Espanha

Vinhos e espumantes são reconhecidos por júri internacional formado por 40 experts A conquista de mais prêmios internacionais para vinhos e espumantes brasileiros começou mais cedo este ano. O país verde e amarelo acaba de conquistar 16 medalhas no Concurso Internacional de Vinos y Espirituosos (CINVE) 2018 , realizado de 12 a 14 de fevereiro no Complexo Cultural de São Francisco, na cidade de Cáceres, na Espanha. A entrega da premiação acontecerá dia 13 de abril no Hotel Villamagna, em Madri .   O concurso reuniu 705 amostras de 14 países. Um júri formado por 40 experts distinguiu quatro vinhos e 12 espumantes brasileiros . O diretor da Associação Brasileira de Enologia (ABE), enólogo Marcos Gabbardo, esteve representando o Brasil e destaca que foi possível avaliar, principalmente, vinhos da Península Ibérica, além de produtores do Novo Mundo e Velho Mundo. “Todas as avaliações foram realizadas às cegas por jurados internacionais, permitindo a valorização da diversidade e qual