Pular para o conteúdo principal

Grand Cru Tasting 2017 etapa Curitiba foi um sucesso!

O restaurante Bobardi foi o cenário muito bem escolhido para o Grand Tasting Grand Cru 2017, de Curitiba, com casa cheia. Mais de 200 rótulos especiais escolhidos pela importadora foram divididos por ilhas temáticas para as degustações. Vinhos icônicos como Altaïr, Don Maximiano, Cobos Bramare, Casa Nova di Neri, Sessantani, entre outros rótulos renomados foram divididos entre champagnes, espumantes, brancos, rosés e tintos e de sobremesa franceses, italianos, espanhóis, portugueses, argentinos, chilenos...
O chef Dyogo Prado e sua equipe do Bobardi, serviram coquetel volante quentinho e gostoso, e uma mesa de antepastos ficou farta o tempo todo para harmonizar com os vinhos da noite.
Casa cheia para o Grand Tasting Grand Cru 2017, com atendimento ao público até tarde da noite.
Paulina de Luca, brand manager da chilena Grandes Vinhos de San Pedro, apresentou rótulos como Altaïr 2010 e 2011 e Sideral 2014. Jovens ainda, mas com muita atitude. Provei todos e adorei! Corte bordalês mas que dificilmente se repete todas as castas, dependendo do ano da colheita. Taninos e acidez em perfeita harmonia. Vinhos deliciosos, poderia bebê-los por muito tempo. 

 A argentina Pulenta Estate apresentou muitos rótulos saborosos, entre eles: Pulenta State XI Grand Cabernet Franc, Pulenta State IX Pinot Noir, Pulenta State X Gran Malbec, Pulenta State Blend.
Muito me agrada as Pequeñas Producciones da vinícola argetina Escorihuela Gascón, que eu já tive oportunidade de conhecer. O Malbec e sempre especial, mas o jovem Cabernet Franc 2015 me encanta.

 Um dos grandes vinhos da noite, foi sem dúvida, o intenso, complexo e vibrante italiano Brunello di Montalcino Tenuta Nuova Casanova di Neri 2012. Vinho espetacular. O Brunello di Montalcino 2012 também é fantástico.. difícil entre tantos vinhos especiais escolher um para chamar de seu.
 Grande surpresa para meu paladar foi o italiano F Negroamaro 2012, fácil de beber, fácil de harmonizar, com aromas de frutas negras (ameixa, figos secos, especiarias) e de ótima persistência. Sou fã dos Primitivos de Manduria e o 2013 que provei, tive que repetir... além os frutos negros e especiarias, chocolates em nariz senti compotas doces agradáveis ao paladar. Demais!!
 Dos belos rótulos espanhóis, o que mais gostei foi o Mauro 2014 - de Castilla y León. Tinto aromático e suculento, de textura aveludada, taninos elegantes, aromas e sabores marcantes de café e chocolate. Gosto da uva Tempranillo presente em 90% neste vinho  e 10% Syrah. 
 Na ilha da chilena Leyda  provamos os vinhos  Leyda Single Vineyard Falaris Hill Chardonnay, Leyda Single Vineyard Garuma Sauvignon Blanc e Leyda Single Pinot Noir Las Brisas.
Max Undurraga, da Koyle Family Vineyards, me serviu alguns rótulos e entre eles gostei muito do Carmenère Royale 2013, do Valle do Colchagua, Chile. Tinto potente, taninos macios, bom corpo, acidez e álcool na medida certa.

Para conhecer outros rótulos da Grand Cru acesse: https://www.grandcru.com.br/

FOTOS: MÁRCIA TOCCAFONDO.

Postagens mais visitadas deste blog

Curitiba 18💙18 distribui 270 toneladas de alimentos

  Campanha de financiamento coletivo arrecada R$ 991.841 em 18 dias em prol de ONGs de Curitiba e Região Metropolitana. Uma campanha em torno do número cabalístico 18. Assim foi a Curitiba 18 18 , uma iniciativa da Comunidade Israelita do Paraná, que foi abraçada por muitos curitibanos, pessoas físicas e jurídicas.   A ação foi inspirada na campanha original de São Paulo, realizada algumas semanas antes. A arrecadação total pela plataforma de financiamento coletivo Benfeitoria foi de R$ 991.841,00, que estão sendo transformados em 270 toneladas de alimentos para mais de 9 mil famílias.   A distribuição já começou e continuará nas próximas semanas, com o apoio logístico da Trans Pizzatto. O número 18 foi escolhido por simbolizar a vida, transformando alimentos em esperança para as famílias mais necessitadas, situação agravada pela pandemia. “18 simboliza ‘chai’, que é vida em hebraico. E o coração, uma ponte para outra vida. Pessoas ajudando pessoas. Uma forma de honrar essa terra que t

Conheça os eventos na Itália e na França que vão celebrar Leonardo da Vinci em 2019

Com 28 de anos de história a Teresa Perez Tours é especialista em criar e reinventar roteiros personalizados e não poderia ficar de fora das comemorações dos    500 anos da morte de Leonardo Da Vinci , no  ano de 2019.  Da Vinci,  considerado, graças às suas contribuições em praticamente todos os campos do conhecimento humano, um dos artistas mais completos que o mundo já conheceu. O gênio italiano morreu no dia 2 de maio de 1519 e, como não poderia deixar de ser, o tema vai inspirar atrações ao longo do ano na Itália, país de origem do artista, e na França, onde passou os últimos dias de sua vida. Na programação, mais de 500 eventos com o objetivo de criar um movimento popular e artístico através de uma programação variada, que aborda temas relacionados à figura do artista e ao Renascimento - período em que viveu -, como arquitetura, gastronomia, artesanato, ciência e inovações tecnológicas.   Legado e raízes na Itália Na Itália, uma série de celebrações estão planejadas e du

Brasil abre 2018 com 16 prêmios para os espumantes brasileiros na Espanha

Vinhos e espumantes são reconhecidos por júri internacional formado por 40 experts A conquista de mais prêmios internacionais para vinhos e espumantes brasileiros começou mais cedo este ano. O país verde e amarelo acaba de conquistar 16 medalhas no Concurso Internacional de Vinos y Espirituosos (CINVE) 2018 , realizado de 12 a 14 de fevereiro no Complexo Cultural de São Francisco, na cidade de Cáceres, na Espanha. A entrega da premiação acontecerá dia 13 de abril no Hotel Villamagna, em Madri .   O concurso reuniu 705 amostras de 14 países. Um júri formado por 40 experts distinguiu quatro vinhos e 12 espumantes brasileiros . O diretor da Associação Brasileira de Enologia (ABE), enólogo Marcos Gabbardo, esteve representando o Brasil e destaca que foi possível avaliar, principalmente, vinhos da Península Ibérica, além de produtores do Novo Mundo e Velho Mundo. “Todas as avaliações foram realizadas às cegas por jurados internacionais, permitindo a valorização da diversidade e qual