“Só bebo Champagne quando estou feliz e quando estou triste. Ás vezes, bebo quando estou sozinha. Quando estou em companhia, considero obrigatório. Bebo um golinho se não estou com fome e bebo quando estou com fome. Caso contrário nunca toco nele, a não ser que esteja com sede.” - Madame Lily Bollinger -

15 de outubro de 2015

VIK 2011, uma grande experiência para os brasileiros...


Estou muito curiosa por degustar o vinho VIK 2011, que está sendo apresentado ao mercado brasileiro e que chega neste mês de outubro/15 em Curitiba. Já li um pouco sobre ele, o que me deixou com os sentidos atentos e apressados. A preciosidade é chilena. Das paisagens ímpares do Vale de Millahue, a 200 km ao sul de Santiago, vem a grata experiência aromática e o sabor elegante e requintado dos vinhos VIK. Sim, são comparados aos grandes vinhos de Bordeaux. Na ficha técnica: O VIK 2011 traz as cepas Cabernet Sauvignon 55%, Carménère 29%, Cabernet Franc 7%, Merlot 5%, Syrah 4%. Álcool: 13.9 % Vol. Açúcares redutores: 3.02 gr/lt PH: 3.66. Acidez total: 5.17 gr/lt in C4H6O6.  Cor: vermelho rubí, brilhante e profundo. Aromas: frutas vermelhas (morango, framboesa) em perfeita harmonia com os aromas de baunilha do
vinho. A madeira respeita perfeitamente a evolução dos aromas. Um vinho equilibrado muito sutil, com grande frescor aromático.
Palato: altamente fresco, sedoso, muito fino com taninos
redondos e elegantes e longa persistência.
Geral: um vinho harmonioso, equilibrado com uma
www.worldwine.com.br  e  Wine.com.br. Não é apaixonante? Logo contarei mais detalhes.

Nenhum comentário: