"Tomei um decisão. Vou mudar completamente. Este ano, não vou fazer nenhuma resolução de Ano Novo, vou me concentrar em ser grata por ser como eu sou. Resoluções de Ano Novo implicam expressar instatisfação como status quo em vez de gratidão budista. Na verdade talvez eu faça umas minirresoluções… - Helen Fielding (Bridget Jones)

15 de outubro de 2015

VIK 2011, uma grande experiência para os brasileiros...


Estou muito curiosa por degustar o vinho VIK 2011, que está sendo apresentado ao mercado brasileiro e que chega neste mês de outubro/15 em Curitiba. Já li um pouco sobre ele, o que me deixou com os sentidos atentos e apressados. A preciosidade é chilena. Das paisagens ímpares do Vale de Millahue, a 200 km ao sul de Santiago, vem a grata experiência aromática e o sabor elegante e requintado dos vinhos VIK. Sim, são comparados aos grandes vinhos de Bordeaux. Na ficha técnica: O VIK 2011 traz as cepas Cabernet Sauvignon 55%, Carménère 29%, Cabernet Franc 7%, Merlot 5%, Syrah 4%. Álcool: 13.9 % Vol. Açúcares redutores: 3.02 gr/lt PH: 3.66. Acidez total: 5.17 gr/lt in C4H6O6.  Cor: vermelho rubí, brilhante e profundo. Aromas: frutas vermelhas (morango, framboesa) em perfeita harmonia com os aromas de baunilha do
vinho. A madeira respeita perfeitamente a evolução dos aromas. Um vinho equilibrado muito sutil, com grande frescor aromático.
Palato: altamente fresco, sedoso, muito fino com taninos
redondos e elegantes e longa persistência.
Geral: um vinho harmonioso, equilibrado com uma
www.worldwine.com.br  e  Wine.com.br. Não é apaixonante? Logo contarei mais detalhes.

Nenhum comentário: