Castas exóticas e diferentes na Confraria Feminina do Vinho de Curitiba

A reunião mensal da Confraria Feminina do Vinho de Curitiba no mês de fevereiro, teve como cenário o belíssimo e aconchegante restaurante Armazém Santo Antônio, sob a batuta do renomado chef Giuliano Hahn. A apresentação dos vinhos da noite coube a mim e levei para a confraria, vinhos de uvas que ainda não havíamos provado. O tema escolhido por mim foi "uvas exóticas e diferentes" entre elas: Colombard, Petit Courbu, Petit Manseng e Gros MansengPortugieserAragon, ProvechonBlauer Zweigelt. E vamos aos vinhos da noite:
1º.VINHO:  BRANCO KUMALA 2017País de Origem: África do Sul. Produtor: Kumala. Uvas: 75% Colombard e 25% Chardonnay. Em pesquisa pelo google achei algumas definições. A Colombard é uma uva branca originária da França, conhecida por sua excelente neutralidade, tornando-a uma das principais variedades utilizadas na composição de blends, na produção de espumantes e vinhos fortificados. Se deu muito bem nas plantações da Califórnia e Africa do Sul. Seus bagos têm pele dura, apesar de fina. O vinho branco e seco produzido à base de Colombard possui coloração amarelo palha brilhante com tons esverdeados. Tem corpo leve, boa estrutura e é muito refrescante. É picante e possui aromas intensos e convidativos de cítricos como o limão, goiaba verde e de toranja, e remetendo a sabores como maçã verde, nectarina e pêssego. O Kumala tem Graduação alcoólica: 12,5%. Cor: amarelo-palha brilhante e com tons esverdeados. Aroma: muito frutado, lembrando maçã verde, grapefruit, maracujá, goiaba e limão. Sabor: na boca apresenta corpo leve, boa estrutura, um delicioso frescor, notas de frutas cítricas e boa persistência. Vinho desprentensioso e fácil de beber. (Adega Brasil por R$ 49,90). 2º. VINHO:  BRANCO PETIT GASTON 2013: País : França - Região: Sudoeste da França- Gasconha – mesma região de Madiràn. Produtor: Alain Brumont. Uvas: Petit Courbu, Petit Manseng, Gros Manseng. Petit Courbu: que quer dizer “pouco curvo” é uma variedade de uva branca da videira nativa da região de Pirenéus. Os cachos da uva são pequenos e a bagas são muito pequenas. Tem aromas atrativos em citrinos, citros e mel. Petit Courbu produz vinhos finos, de qualidade e aromáticos de grande afinidade. A Petit Manseng é uma das principais uvas brancas do sudoeste da França, também encontrada na Espanha, Austrália e Estados Unidos.  Uma das características marcantes da Petit Manseng é a sua grande capacidade de concentração de açúcar, mantendo, ao mesmo tempo, acidez extremamente elevada. Ideal, portanto, para a produção de vinhos de sobremesa. Os aromas mais associados à Petit Manseng são pêssego, damasco, nêspera (ou ameixa amarela), frutas cítricas e canela, além de manga, maracujá e abacaxi. De fato, trata-se de uma variedade bastante aromática. Gros Manseng: uva colhida tardiamente, é uma das principais uvas brancas cultivadas no Sudoeste da França. De pele grossa, essa variedade de uva é tradicionalmente associada a elaboração de vinhos doces, pelo elevado nível de açúcar e de acidez, no entanto, atualmente a Gros Manseng é utilizada também na produção de vinhos secos, extremamente aromáticos e com nítidos sabores.  O Petit Gaston 2013, tem linda cor palha brilhante, no olfato tem flores e frutas brancas como pêssegos e peras, notas de ervas frescas. Na boca é equilibrado, amplo e cheio de energia. Acidez confere boa tensão e aptidão gastronômica. Vinho elegante, expressivo, floral e frutado. Refrescante, saboroso e muito gastronômico. (Enoteca Decanter: R$79,90).  3.º  VINHO: TINTO ATTILA GERE PORTUGIESER 2014: País de origem: Hungria – Villány (Sul da Hungria). Produtor: Attilla Gere. Uva: 100% Portugieser (Kékoportó). A Hungria não produz só Tokaji, esse tinto gostoso veio do mediterrâneo húngaro. Houve muitas controvérsias sobre a origem da casta portugieser, que pelo nome daria para pensar que é portuguesa, mas já se sabe que a origem é austriaca e o seu o cultivo ocorre,  principalmente, na Europa Central e Oriental, em países como a Hungria, Áustria, Alemanha,  Eslovênia, Croácia e Romênia. Com cachos de tamanho médio e compactos, a uva Portugieser possui bagos ovais e escuros, que apresentam uma coloração quase azulada. Os tintos ou rosés elaborados a partir dessa variedade de uva são leves e com baixa acidez, indicando que devem ser bebidos ainda jovens e não são tão adequados para o envelhecimento. O Attila Gere Portugieser 2014 tem cor rubi de média intensidade. Saltam os aromas maduros de fruta vermelha (framboesa, morango), também ligeiramente floral. Leve, todo o equilíbrio na boca é voltado para a maciez frutada, final de tostado delicado. É charmoso e quase desprovido de taninos. (Enoteca Decanter: R$ 109,90).  4.º VINHOTinto PIEZA EL COLL CALATAYUD 2014 : País de origem: Espanha – Região: Munic. Calatayud. Produtor: Pagos da Família Langa. Uvas:  50% Aragon (Garnacha), 30% Cariñena e 20% Provechon. Segundo a Grand Cru “As variedades Aragon e Provechon são clones nativos da casta Garnacha, típica da região da Calatayud (província de Saragoça, comunidade autônoma de Aragão. Esse rótulo recebeu 90 pontos Parker.Pieza é um vinho de guarda exótico, apresenta coloração púrpura profunda, com aromas de cedro, cereja e ameixa preta, com toques minerais. Tanino acentuado, O paladar é rico e picante, com taninos bem arredondados. Na boca sua entrada revelou taninos finos, acidez vibrante, grande profundidade gustativa para um vinho da sua categoria e final largo, especial e envolvente. Vinho muito apreciado na noite. (Importadora Grand Cru: R$ 89,00). 5 º - VINHO TINTO: ZWEIGELT RESERVE 2009: País de origem: Áustria – Kamptal. Produtor: Hiedler. Uva: 100% Blauer ZweigeltÉ a uva tinta de cor azul quase preta e a mais plantada nas regiões vinícolas da Áustria, desde 1920. É um cruzamento de Saint-Laurent com Blaufrankisch (Lemberger na Alemanha). Além da Áustria, Zweigelt também é cultivada em países como República Tcheca, Alemanha, Hungria e Eslováquia, além de Canadá, Japão e Inglaterra. Vinho de coloração rubi concentrada. Prevalece no aroma frutas negras (cereja, amora) contornadas por especiarias, húmus, tabaco e ervas. Poderoso e gustativo sem ser forçado, tem frescor contagiante, os taninos são viris Longo final a frutas secas e chocolate. (Enoteca Decanter: R$ 244,89). 
A prova dos vinhos surpreendeu e o branco aprovado da noite foi o Petit Gaston 2013 e o tinto foi o Attila Gere Portugieser 2014.
*Seleção de folhas com nozes caramelizadas, queijo gorgonzola e pera.
Vinho: Kumala 2017– África do Sul
Pratos principais:
*Robalo ao molho de siri e legumes na manteiga de ervas
Vinho: Petit Gaston – França.
*Mignon com batata gratin e cebola roxa confitada com mel e especiarias.
Vinho: Attila Gere Portugieser 2014 - Hungria
Vinho: Pieza El Cool 2014 – Espanha
Vinho: Zweigelt Reserve 2009 - Áustria
Sobremesa*Churros.
Em volta dos vinhos:  Sueli  Rita Martinez,  Márcia Toccafondo Sandra LunedoAnalzira Carneiro, Maria do Carmo BadoIsabel Pudles, Eunice RochaMônica Meira e Marlene Beck.
O Armazém Santo Antônio tem endereço na Rua Solimões, 344, em uma casa belíssima tombada pelo Patrimônio Histórico e conservada com muito capricho pelos sócios. A gastronomia é de primeira e a decoração é linda. Espaço para reunir a família, amigos, namorados e quem mais chegar.
Fotos por Márcia Toccafondo.

Comentários