Quem sou eu

Minha foto
Este blog nasceu em fevereiro de 2008, para postar eventos em geral, assuntos referentes ao universo da moda, beleza, gastronomia e vinhos.

20 de junho de 2017

16 de junho de 2017

Casa Bazaar por Bazaar Fashion

A Bazaar Fashion inova mais uma vez e une – em um mesmo espaço – moda, arquitetura, decoração e cultura. No dia 20 de junho, às 19h30, as sócias Andréa Omeiri, Márcia Almeida e Solange Elias apresentam aos convidados a Casa Bazaar. 
A casa do ano de 1959, criada pelo arquiteto Farid Surugi, possui 900m² de área construída em estilo colonial americano e será cenário de um projeto inovador que traz nomes nacionais do cenário fashion que serão homenageados por arquitetos paranaenses. 
Os espaços serão decorados com móveis da Villa Batel, SCA e JVN Products. A Casa Bazaar ficará exposta durante três meses e será aberta ao público. 
“Estamos há 21 anos no mercado de moda em Curitiba, promovendo eventos luxuosos e de muito bom gosto sempre em parceria com grandes marcas e nomes, além dos concorridos lançamentos de coleção. Sempre nos reinventamos, e agora é o momento para unirmos o fashion com o design e décor que está em alta,” comenta Márcia Almeida. 
Entre os profissionais de arquitetura e decoração e os homenageados da Casa Bazaar estão:
Anna Letycia Loyola para Silvia Furmanovich e Sandro Barros ambiente Biblioteca
Elaine Zanon e Claudia Machado para Paula Aziz e Dirce Zamora ambiente Living
Luciana Olesko e Fernanda Lorusso para Fátima Scofield ambiente Lounge
Marcos Soares para Constance Zahn e Thiago Straub ambiente Eventos
Rafael Egg para Patrícia Bonaldi e Grupo Nohda ambiente Cenografia
Leonardo Muller para Patricia Viera ambiente Closet
Sabrina Becker para Helo Rocha ambiente Varanda & Café
Sérgio Valliatti Jr. e Luciana Patrão para Martha Medeiros ambiente Hall de Entrada
Viviane Loyola para Ana Paola Martins ambiente Living
Viviane Tabalipa para Luisa Accorsi e Eduardo Toldi ambiente Lounge
Fernanda Cassou para Auro Ottoni ambiente Espaço MDGP Incorporações.
A Casa Bazaar conta com patrocínio Villa Batel, JVN Products, La Villie. Femme, MDGP Incorporações, Open Point Volvo, e apoio Nomaa Hotel.
Foto: Divulgação.

"1ª Festa Junina do Empreendedorismo" do Clube da Alice. Agende-se!







Nesse sábado e domingo, dias 17 e 18 de junho, a partir das 10h, 
a Live Curitiba ferve com a "1ª Festa Junina do Empreendedorismo" do 
Clube da Alice.  Além do incentivo ao empreendedorismo, vai ter arraiá dos bons, embalado por boa música, regado a muito quentão, pipoca, canjica, arroz doce, paçoquinha, entre muitas delícias.  A Live Curitiba fica na rua Itajubá 143, Novo Mundo. Os ingressos custam entre R$ 5 e R$ 10. Para mais informações. Mais informações no site da festa: http://festajunina.clubedaalice.com.br/ 
Foto: Divulgação.

Vem aí o Curitiba Divercity

Curitiba vai sediar pela primeira vez o evento que coloca a cidade definitivamente na rota cultural da América Latina. Vem aí o Curitiba Divercity, que acontece na capital paranaense nos dias 7, 8 e 9 de julho, no ExpoUnimed. São três dias com uma programação que traz uma visão moderna da cultura e da arte, colocando a inteligência emocional como condutora de temas envolvendo: arte-educação, economia criativa e empreendedorismo cultural. Tudo isso reunido em um espaço de 6 mil m².
Curitiba Divercity promove a diversidade cultural e abrigará um grande espaço de diversão e experiências, integrando apresentações de dança, palestras, workshops e atividades para todas as idades. Comportamento, cultura, música, moda e educação serão tratados em encontros com especialistas e profissionais do universo cultural.
No decorrer da programação do Curitiba Divercity, palestras e workshops trazem ao público a possibilidade de pensar os rumos e as possibilidades de desenvolvimento profissional no mundo cultural. Atividades como o Circuito Flip Flop, que traz expoentes dos eventos especializados em expressões urbanas, tratando temas culturais e de educação, como: “Dançando e criando negócios na economia criativa” e ”A importância da experiência artística nas escolas num século tecnológico”.
Além do 2º Fórum Nacional de Economia Criativa para Dança, que reunirá gestores, produtores, artistas e articuladores de todo o país para conversar sobre as tendências do empreendedorismo cultural. Palestras e debates sobre educação apresentarão ao público um panorama da relação entre os jovens e a cultura. Afinal de contas, como a formação artística é contemplada nas escolas?
No evento, 10 eco bikes serão disponibilizadas, onde as pessoas poderão carregar seus telefones celulares com a energia gerada com suas próprias pedaladas, chamando a atenção para a sustentabilidade.
As crianças também são contempladas pela programação. Além da mostra nacional “Criança que Dança”, que contará com a apresentação de escolas de dança infantis, os pequenos poderão frequentar oficinas educacionais durante todos os dias da programação. Brincadeiras e aprendizagens em um só lugar.
O idealizador e produtor do evento, Octávio Nassur, conta que o Curitiba Divercity surgiu da necessidade de se criar um ambiente de experiências na cidade, com formas urbanas de expressão. “A intenção é unir em um só espaço a vivência artística e um espaço para uma formação que vai além da performance da dança”, diz.
O Curitiba Divercity já nasce entre os maiores eventos do gênero na América Latina. Durante os três dias de evento, mais de 15 mil pessoas devem prestigiar os expositores e palestrantes de diversos países, além de bandas e Djs que se apresentam ao longo dos dias.
E tem mais: a partir de agora, o FIH2, maior festival de danças urbanas da América Latina, é parte do Curitiba Divercity.
O maior da América Latina
FIH2 chega à sua 16ª edição e se integra ao Curitiba Divercity. Em 15 anos de festival, o evento cresceu e hoje é um dos maiores do mundo dedicado à dança urbana. Durante o evento, cerca de 3 mil dançarinos de sete países se apresentarão para 9 mil espectadores. Ao todo, mais de 15 mil pessoas devem passar pelo evento durante os três dias de programação. Professores, coreógrafos, produtores e escolas de dança reunidos para promover a dança, e a arte como um todo, como profissão.
Confira a programação completa mais sobre o Curitiba Divercity em: http://curitibadivercity.hospedagemdesites.ws/
Curitiba Divercity
Quando? 7, 8 e 9 de julho
Onde? ExpoUnimed - Rua Prof. Pedro Viriato Parigot de Souza, 5300 – Campo Comprido. 
(Fotos: Divulgação).

Bodebrown conquista duas medalhas de ouro no Canadá e comemora neste sábado

A cervejaria curitibana Bodebrown conquistou duas medalhas de ouro no Mondial de La Bière Canada 2017, um dos maiores eventos do segmento no mundo,  conforme resultado divulgado nesta quinta-feira (15/6). As criações premiadas foram a Stone Bodebrown Cacau IPA, uma das mais festejadas obras da empresa, e a Atomga Cherry Wood Aged. Para celebrar, o projeto Growler Day deste sábado, que acontece semanalmente na fábrica, no bairro Hauer, vai ter como rótulo principal a Cacau Ipa. Ela poderá ser adquirida no growler a R$ 20 o litro. 
A Cacau IPA é uma das cervejas recordistas de medalhas da Bodebrown. Já faturou medalhas de ouro no Mondial de La Biere do Brasil (2014) e Festival Brasileiro de Blumenau. Também foi eleita a mehor IPA do Brasil entre os anos de 2014 a 2017 no concurso IPA Day.  Levou ainda medalha de prata no Australian Beer Awards 2014. Ela é fruto da colaboração entre a Bodebrown e a norte-americana Stone Brewing. Nesta nova conquista no Canadá, a fábrica curitibana foi representada pelo cervejeiro belga Jacques Bourdouxhe, parceiro frequente de Samuel Cavalcanti, o criador à frente da Bodebrown. 
Com 6,1% de teor alcóolico, a Cacau IPA possuí aromas de frutas cítricas, herdadas da adição de lúpulos norte-americanos, e ainda toques de chocolate, proveniente da adição de cacau da região de Ilhéus, na Bahia.  No paladar conta com equilíbrio entre caramelo e notas maltadas, com médio amargor.
Growler Day da vitória
 O Growler Day acontece toda a semana, reunindo venda de cervejas artesanais no growler (garrafões especialmente projetados para preservar as características das cervejas), opções gastronômicas com food trucks e música. Nesta edição, exclusivamente no sábado, a estrela será a Cacau IPA.  O horário no sábado vai das 9h às 13h.
 Já nesta sexta-feira (16), das 17h às 20h, o Growler Day traz para o público um lançamento. Trata-se da Mago de Houblon, com 6.1% de álcool. Ela é produzida com muita lupulina, o que confere aroma de frutas tropicais e elegância extrema no paladar.
  Growler Day - venda de cerveja, visitação à fábrica e food trucks
 DATA E HORÁRIO: sexta das 17h às 20h, e sábado das 9h às 15h.
VALOR: Entrada franca. Litro da cerveja vendido a partir de R$ 20
ENDEREÇO: Rua Carlos de Laet, 1015 - Curitiba, Hauer - PR
INFORMAÇÕES: www.bodebrown.com.br
Fotos: GuiGluck e Divulgação.

13 de junho de 2017

Vinhos de Portugal em São Paulo e suas grandes experiências

O Jk Iguatemi foi o belo cenário escolhido para a estreia da "Vinhos de Portugal" - maior evento de vinhos portugueses do Brasil, em São Paulo. Eu, como adoro vinhos e faço parte da Confraria Feminina do Vinho de Curitiba, participei. Além de cursos, degustações e provas, 66 produtores apresentaram seus rótulos portugueses durante 3 dias, no Mercado do Vinho. Tive o grande prazer de conversar com produtores renomados como Anselmo Mendes e Luis Pato, presentes ao evento. Imperdíveis foram as palestras nas Salas de Provas, com o Master of Wine Dirceu Vianna Júnior, Jorge Lucki, Luís Lopes e Manuel CarvalhoPortugal com seus encantos foi marcado nas cores do evento e na decoração e não faltou o bondinho e nem a estátua do poeta Fernando Pessoa para as fotos. As estrelas foram os vinhos das regiões do Porto e Douro, Dão, Alentejo, Península de Setúbal, Bairrada, Lisboa, Tejo, Vinho Verde, Trás-Os-Montes, Beira Interior, Algarve, Madeira e Açores. São 250 castas portuguesas catalogadas, mas a mais festejadas são: Alvarinho, Encruzado, Loureiro, Castelão, Tinta Roriz e a queridinha, cultivada em várias regiões portuguesas e muito exportadas: Touriga Nacional. O evento em São Paulo foi uma parceria entre a Vinhos de Portugal, o Globo e Valor Econômico, pelo jornal Público de Portugal e Instituto dos Vinhos do Douro e do Porto, com o apoio das Comissões Vitivinicolas do Alentejo, Dão e Setúbal.
Dentro da programação, os encontros regados a ótimos vinhos e descontração com os mestres, aconteceram em vários momentos do "Tomar um Copo", no terraço do shopping, oportunidade oferecida dentro de 20 minutos com grandes nomes, onde bebia-se um vinho e falava-se um pouco sobre eles. Muito legal e produtivo!!
O Master of Wine Dirceu Vianna Júnior, brasileiro que reside em Londres há quase 30 anos, consultor técnico de grandes vinícolas e colaborador da revista Decanter, na Inglaterra, encanta pela simplicidade e por comentar grandes vinhos, desmistificando, sem frescuras. Um bate-papo marcante, proveitoso e descontraído. Entre tantas coisas comentou que os melhores produtores de vinhos estão abertos prontamente a se comunicar, a aprender, conversar e a compartilhar ideias, como os portugueses presentes ao evento. Eles tentam capturar o que o vinhedo tem de melhor, as suas características e muitos usam de auto-inspiração e baixa tecnologia para fazer o melhor e colocar grandes vinhos em uma taça. Que uma grande safra, pode ser legendária como um Bordeaux safra 1947 ou um 1961; clássica como um vinho do Porto 1970, que degustamos durante a palestra; exótica como a atípica safra 2003, em Champagne, ou a safra dos vinhos mal entendidos, anos difíceis mas que resultaram em um bom vinho, como 2013, na Argentina, entre outros citados. Reconhecer os aromas do vinho é fundamental para uma degustação. Aprendi muito, mas vou abreviar porque vai faltar espaço para tantos comentários.
Participei de duas palestras de Dirceu Vianna Júnior , uma sobre "Grandes produtores e safras históricas" e outra sobre "As castas clássicas e autênticas de Portugal" com vinhos excelentes e anotei algumas características dos mesmos. Vinho Porca da Murça Reserva 1998, da Real Companhia Velha, vinho seco de vinhedos de altitude da região do Douro onde 60% é um blend originário de varietais velhas. A vinificação foi normal, uvas colhidas a mão e que terminou em barricas de carvalho francês por 1 ano. Vinho vibrante de 20 anos, longevo, mas que ficará bom também se degustado daqui há 10 anos, linda cor dourada, complexo no nariz, frutas secas maduras (damasco, amêndoas, mel e flores de campo. O segundo vinho degustado foi o Esporão Reserva 2011, originário do sol do Alentejo. Corte de Aragonês e Alicante Bouschet.  Vinho sofisticado, fino, mineral, fermentado em cubas de inox, 70% envelhecido em carvalho americano e 30% em carvalho francês, no mínimo 6 meses em garrafa. De ótima acidez, taninos elegantes, notas de cassis, mirtilo, especiarias exóticas. Segundo Dirceu, vinho um pouco contido podendo envelhecer mais para chegar ao ápice. 14,5% teor alcoólico.O terceiro vinho a ser aberto e comentado foi o  Quinta do Vallado Touriga Nacional 2011: safra histórica do Douro, 100% Touriga Nacional, originário de vinhedo de 20 anos, solo xistoso, fermentou por 16 dias, cerca de 24 graus, envelheceu por 16 meses em madeira 30% madeira nova e 70% madeira velha. Exuberância em notas de frutos negros, mirtilo, amoras, violetas. Quarto vinho: Abandonado 2005, o nome e o vinho são também inspiram poesia, do grande produtor Domingos Guilhermino do Reis Alves de Souza, é um vinho maravilhoso, de vinhas velhas de 80 anos e uma mistura de 20 castas. Vinho longevo e fresco, aroma de alcaçuz, arruda e pimenta. Quinto vinho: Xisto-Roquette & Cazes 2004: da região do Esporão, vinhedos de 25 anos, com 60% Tinta Roriz e 40% Touriga Nacional. Especiarias, passas, cedro, ervas secas. Vinho misterioso, complexidade nos aromas e sabores. Delicioso! 



O sexto e último vinho dessa prova foi nada menos que um porto vintage Graham's Vintage 1970, da Symington Family Estates. Como disse o mestre é quase um poema, emociona! Vinho para ocasiões especiais. Complexidade em um vinho inesquecível, taninos sedosos, 70 gramas de açúcar bem integrado, frutas secas caramelizadas... um espetáculo à parte. Agradecida.. é pouco!
A segunda prova que participei também com Dirceu, foi incrível: Quinta do Ameal Loureiro 2015: Casta do norte de Portugal, no Minho. Vinhedos de 20 anos, cujo vinho compõe o corte do Vinho Verde, solo granítico, tem mineralidade, refrescância. É um dos  melhores loureiros de Portugal, na opinião de Dirceu Vianna Júnior. Como o próprio nome faz lembrar, Loureiro vem de louro, aroma de folha, laranja, maçã, frutas cítricas, acácia. Casta vigorosa que não envelhece muito bem. Passou por inox, não tem madeira, 3 meses nas borras para dar textura. Harmoniza bem com frutos do mar , sushi ou outra comida japonesa leve. Foi servido em temperatura muito fria, e como ele disse: um bom vinho branco não deve ser servido muito gelado para que não perca a sua personalidade. Estava assim mesmo, saboroso! Expressões 2015, de Alsemo Mendes, foi o segundo vinho. da região de Monção e Melgaço, no Norte de Portugal. Casta Alvarinho de pele grossa e ótima acidez. Vinhos que envelhecem muito bem e é longevo. Se o clima for mais frio teremos um vinho mais cítrico e mais quente um vinho tropical e mais exótico desta casta. O suco fica sobre as borras para liberar proteínas e dar mais amplitude ao vinho. Fermentação começa em tanques e depois estagia em barricas e 400 litros de carvalho francês. O terceiro vinho comentado e degustado foi o Ribeiro Santo Encruzado Vinhedo Novo 2016, da Magno Wines, de Carlos Lucas. Casta Encruzado, longevo, vinhedo de 30 anos da região do Dão. Solo granítico. Vinho tem a fermentação em temperatura baixa, fica 4 meses em barrica em contato com as borras. Vinho bom, mas muito jovem, ficará melhor daqui 10 anos. Frutas tropicais. Quarto vinho: Venâncio da Costa Lima 2014, do produtor de mesmo nome, da região de Palmela. 100% Castelão (uva que é sinônimo do vinho Periquita), com pele grossa, rústica e de boa acidez e quando podada com mais vigor, rende vinhos mais encorpados. Colheita manual, foi ao tanque, passou por barricas novas de 250 lt. por aproximadamente 9 meses. Graduação alcoólica de 14,5%. O Quinta do Castro Tinta Roriz 2014, do Douro, retem bem a acidez e o frescor. A Tinta Roriz tem pele grossa e são oriundas de 3 vinhedos velhos, com rendimento baixo e de alta qualidade. Tanques de inox a 30 graus, e 16 a 18 meses em madeira francesa nova. Taninos firmes e sofisticados, mas madeira muito marcada, deve envelhecer por mais 10 anos para evoluir bem. 14,5% v. álcool.
O sexto e último vinho dessa prova foi o Cortes de Cima Touriga Nacional 2014. O produtor Cortes de Cima é da região quente do Alentejo, distrito de Viseu, em Portugal e faz vinhos de muita qualidade, em 11 mil hectares de Touriga Nacional plantados e vinhedos de 40 anos. Solo argilo-calcário. Colheita manual, seleção de ótimos frutos. Vinho envelheceu 6 meses nas borras e 8 meses em barricas francesas. Ficou 1 ano e 2 meses em garrafa, 13,5% grau alcoólico. Vinho tem exuberância, complexidade e muita elegância.
Tomada geral a sala de provas onde pudemos ouvir e degustar os vinhos.



Dirceu Vianna Júnior também foi uma das estrelas do "Tomar um Copo" e apresentou 2 grandes vinhos: Luis Pato e o raríssimo Venâncio Costa Lima, fortificado de 30 anos, que ele levou exclusivamente para a prova e nós, os felizes contemplados com uma taça. Uva Moscatel, colhidas e selecionadas a mão, com adição de aguardente. Ficou em contato com as cascas por 6 meses, envelheceu muito bem e por muito tempo. Frutas secas caramelizadas. Vinho extraordinário.. vinho para reflexão, paixão...
Como tietagem também faz parte do show, eu com Dirceu Vianna Júnior, nosso Master of Wine.
Com o festejado e carismático produtor Anselmo Mendes, no Mercado de Vinhos.
Com o querido e irreverente produtor Luis Pato.
O especialista em vinhos Jorge Lucki, também abrilhantou a "Vinhos de Portugal" com palestras e eu não perdi a foto ao seu lado.
Márcia Toccafondo (eu), Carmen Moraes, Ligia Coelho dos Santos, da Caminhos Cruzados e Eunice Rocha.
Muito legal o contato com os produtores durante o evento, podendo degustar e aprender um pouco sobre cada um. Aqui estou no stand da Lusovini.                             
Fotos por Márcia Toccafondo. 

6 de junho de 2017

‘Uma Noite no MON’ para adultos

Na última quinta-feira, 1/06, a diretora-presidente do Museu Oscar Niemeyer, Juliana Vosnika recebeu os patronos do museu para a primeira edição do evento ‘Uma Noite no MON’ para adultos (já existe a programação ‘Uma Noite no MON’ voltada para as crianças). Na foto o casal Marcelo e Juliana Vosnika e Marcos Soares.
O Secretário de Estado da Cultura, João Luiz Fiani participou do evento. A programação incluiu uma visita mediada pelo curador Agnaldo Farias à exposição do ‘Salão Paranaense’, ainda em montagem, passando pela exposição ‘A Vastidão dos Mapas’ e pela inauguração exclusiva da exposição ‘Na oração que desaterra... a terra’, que abriu ao público no dia seguinte (2/06). Os novos patronos, Marcos Soares, e os irmãos Laura e Guilherme Simões de Assis receberam a moldura de um quadro MON, pela adesão ao programa 'Sou Patrono'. Em seguida os convidados foram recebidos para um coquetel no hall do Pátio das Esculturas, assinado pelo Buffet Anis, do chef Flávio Frenkel, também responsável pela gastronomia do MON Café. A produção do evento teve a assinatura do party designer Marcos Soares. Crédito das fotos: Kraw Penas.

A Feijoada dos Amigos do HC 2017 é nesse sábado, dia 10


A Feijoada dos Amigos do HC será realizada no próximo sábado, dia 10 de junho, na Sede Concórdia do Clube Curitibano (Rua Pres. Carlos Cavalcanti, 815 - São Francisco), a partir das 12 horas. O evento da Associação dos Amigos do Hospital de Clínicas já está em sua 12ª edição e recebe anualmente cerca de 450 pessoas. O Espaço Gourmet Escola de Gastronomia é o grande parceiro do evento. Os ingressos custam R$ 100 e estão à venda através do telefone 0800 601 1010. Estão inclusos o buffet de feijoada, saladas, sobremesas, refrigerantes, cervejas, caipirinhas e avental promocional.

Sábado é dia de Festa Junina no Curitibano Golfe







No próximo sábado, dia 10 de junho, o Clube Curitibano, promove a tradicional Festa Junina em sua Sede Golfe, em Quatro Barras (R. Vinte e Cinco de Janeiro, 2461 – Jardim Menino Deus). O evento acontece entre 12h e 23 horas e é livre para sócios, com sugestão de doação de um quilo de alimento não perecível ou de roupas para inverno. A festa também é aberta ao público em geral acompanhado de sócios do clube – os convites custam R$ 100 e podem ser adquiridos na secretaria do Clube Curitibano, no bairro Água Verde.

Love Is In The Air no Armazém Santo Antônio

O romantismo é o tempero do restaurante Armazém Santo Antônio para a próxima segunda-feira. No dia 12 de junho, o restaurante oferece um cardápio exclusivo com quatro opções de prato principal, três entradas e uma sobremesa ideal para o casal dividir. Cada menu tem um valor diferenciado, dependendo da escolha do principal. A casa funcionará das 19h30 às 23h30, abrindo no primerio dia da semana especialmente para a ocasião. Irá trabalhar com dois horários: 19h30 e 21h45. Para entrada, pode-se escolher entre Salada caprese, ou Tarte de alho poró, ou Vieiras grelhadas, batata doce e poivre vert.
No prato principal, entre os destaques está o Confit de Canard com raclete de batata ao molho de laranja kinkan, que sai a R$ 125. Já o Mignon (R$ 120) é preparado com crosta de ervas guarnecido com risoto de alcachofra e brie. Os fãs de peixe podem degustar do Robalo com crosta de castanhas brasileiras e purê de batata salsa, a R$ 128. Outra iguaria com frutos do mar é o prato de Camarões rosa grandes gratinados com ementhal e espinafre, guarnecido com arroz negro (R$ 148). Na sobremesa, Torta de amêndoas com creme chifon e chocolate. O casarão centenário do Armazém Santo Antônio é ideal para criar um clima romântico no Dia dos Namorados. Seus ambientes intimistas são aquecidos e mantém parte da estrutura original da casa. A entrada conta com jardim e deck frontal, em uma ambientação clássica. Reservas podem ser feitas pelo telefone (41) 3077-5505. 
Serviço: Dia dos Namorados Armazém Santo Antônio
 Quatro menus diferentes com valores a partir de R$ 120, incluindo entrada, prato principal e sobremesa.
Data: segunda-feira, 12 de junho
Horário: A casa abre às 19h30
Endereço: Rua Solimões, 344 - São Francisco, Curitiba - PR
Informações e reservas: (41) 3077-5505 
Fotos: Divulgação.

5 de junho de 2017

Menu especial no Terra Madre que comemora 12 anos de alta gastronomia






O Terra Madre Ristorante está de cardápio novo e repleto de aromas e sabores deliciosos. As novidades para o mês de junho vem com um gostinho especial, já que a casa comemora 12 anos da melhor gastronomia italiana contemporânea, em Curitiba. Estive lá para conferir e está imperdível o novo menu que promete aquecer o nosso clima curitibano e embalar a romântica noite dos Dias dos Namorados. Para harmonizar, a casa conta com uma loja de vinhos com muitos rótulos democráticos, a Grand Cru, e certamente você encontrará um vinho da sua escolha.
chef italiano Simone Brunelli assina o cardápio do ristorante Terra Madre há 3 anos e só melhora. A gastronomia meticuosa e focada em ingredientes naturais, dá água na boca. Na foto, Simone nos mostra um imenso cogumelo vindo de Santa Catarina e usado para adicionar sabor aos pratos da noite.
Gema mole com demi glace injetado com uma seringa... algo aparentemente simples, mas muito gostoso e requintado.
Bacallà mantecato con polenta cremosa e olio truffato, como o nome diz é um bacalhau cremoso e delicado temperado com azeite, servido com polenta cremosa e cogumelo, finalizado com pó de cogumelos. O chef adiconou um ovo de gemas moles, tipo pochê, e um tuille de queijo. Delicia!!
Brodettino della casa, com frutos do mar variados e fresquinhos em caldo de peixe. A apresentação é nota 10 e o sabor idem!
Chitarra alla amatriciana - massa ao molho italianíssimo à base de tomate, pancetta e queijo pecorino.
Leitão cozido em baixa temperatura com risoto carnaroli, mantecato ao cogumelo, que é uma ótima sugestão para o almoço de domingo.
Costella bovina com tubercoli e porcini freschi - que é a sugestão do chef Simone Brunelli para o Dia dos Namorados.
Caprese al ciocolato e nocciolo que também é uma ótima dica para o Dia dos Namorados... chocolate, nozes e cremosidades... hhummm!!
O Terra Mare Ristorante fica na Rua Des. Otávio do Amaral, 515 - Bigorrilho, Curitiba - PR, 80730-400. Fone: 41-3335-6070.
Fotos por Márcia Toccafondo

1 de junho de 2017

E hoje tem Festa Junina no Bar Quermesse

Para esquentar o clima curitibano, hoje, dia 01 de junho, tem festa junina no Bar Quermesse, que há oito anos traz para a capital, durante todo o ano, o verdadeiro clima das festas das cidades do interior. Além casa contar com uma ampla proposta de comida interiorana no cardápio, será servido, gratuitamente, uma mesa de doces típicos e o tradicional Bolo de Santo Antônio, sempre presentes nas festas do gastrobar.  Entre as promoções no dia da festa, está o double de Quentão a noite toda, como também double de cerveja Original até as 20 horas. "Promovemos a festa junina e julina do Bar Quermesse desde a inauguração, há oito anos, com grande sucesso de público. É uma festa criada para reunir amigos, famílias e claro, nossos clientes. A gente mantém o espírito de quermesse o ano todo e nada melhor do que promovermos a nossa no período das festas juninas e julinas”, explica José Araújo Neto, sócio-proprietário do BarQuermesseO gastrobar fica localizado na rua Carlos Pioli, 479, no bairro Bom Retiro. Conta com estacionamento e aceita todos os tipos de cartões. As reservas podem ser feitas pelo telefone (41) 3026-6676  ou pelo site www.quermesse.com. Foto: Divulgação.

31 de maio de 2017

A exposição inédita dos Irmãos Campana no Mon é imperdível









Até o dia 20 de agosto de 2017, você poderá visitar a exposição “Irmãos Campana inédita no Brasil e totalmente produzida e idealizada pelo Museu Oscar Niemeyer, onde a exposição ocupa o espaço do Olho. Fui visitar e saí encantada! O Mon construíu um ambiente lindo e exclusivo para receber a mostra com 130 obras, ocupando uma área privilegiada de 1.500 metros quadrados. Imperdível!
Fotos por Márcia Toccafondo.




Mostra “Irmãos Campana”
Local: Museu Oscar Niemeyer
Endereço: Rua Marechal Hermes, 999
Período de exposição: até 20 de agosto de 2017
Horário de visitação: de terça a domingo, das 10h às 18h
Entrada: R$16,00 e R$8,00 (meia-entrada). Gratuita nas quartas-feiras.
Telefone para informações: (41) 3350-4400

Grand Cru Tasting 2017 etapa Curitiba foi um sucesso!

O restaurante Bobardi foi o cenário muito bem escolhido para o Grand Tasting Grand Cru 2017, de Curitiba, com casa cheia. Mais de 200 rótulos especiais escolhidos pela importadora foram divididos por ilhas temáticas para as degustações. Vinhos icônicos como Altaïr, Don Maximiano, Cobos Bramare, Casa Nova di Neri, Sessantani, entre outros rótulos renomados foram divididos entre champagnes, espumantes, brancos, rosés e tintos e de sobremesa franceses, italianos, espanhóis, portugueses, argentinos, chilenos...
O chef Dyogo Prado e sua equipe do Bobardi, serviram coquetel volante quentinho e gostoso, e uma mesa de antepastos ficou farta o tempo todo para harmonizar com os vinhos da noite.
Casa cheia para o Grand Tasting Grand Cru 2017, com atendimento ao público até tarde da noite.
Paulina de Luca, brand manager da chilena Grandes Vinhos de San Pedro, apresentou rótulos como Altaïr 2010 e 2011 e Sideral 2014. Jovens ainda, mas com muita atitude. Provei todos e adorei! Corte bordalês mas que dificilmente se repete todas as castas, dependendo do ano da colheita. Taninos e acidez em perfeita harmonia. Vinhos deliciosos, poderia bebê-los por muito tempo. 

 A argentina Pulenta Estate apresentou muitos rótulos saborosos, entre eles: Pulenta State XI Grand Cabernet Franc, Pulenta State IX Pinot Noir, Pulenta State X Gran Malbec, Pulenta State Blend.
Muito me agrada as Pequeñas Producciones da vinícola argetina Escorihuela Gascón, que eu já tive oportunidade de conhecer. O Malbec e sempre especial, mas o jovem Cabernet Franc 2015 me encanta.

 Um dos grandes vinhos da noite, foi sem dúvida, o intenso, complexo e vibrante italiano Brunello di Montalcino Tenuta Nuova Casanova di Neri 2012. Vinho espetacular. O Brunello di Montalcino 2012 também é fantástico.. difícil entre tantos vinhos especiais escolher um para chamar de seu.
 Grande surpresa para meu paladar foi o italiano F Negroamaro 2012, fácil de beber, fácil de harmonizar, com aromas de frutas negras (ameixa, figos secos, especiarias) e de ótima persistência. Sou fã dos Primitivos de Manduria e o 2013 que provei, tive que repetir... além os frutos negros e especiarias, chocolates em nariz senti compotas doces agradáveis ao paladar. Demais!!
 Dos belos rótulos espanhóis, o que mais gostei foi o Mauro 2014 - de Castilla y León. Tinto aromático e suculento, de textura aveludada, taninos elegantes, aromas e sabores marcantes de café e chocolate. Gosto da uva Tempranillo presente em 90% neste vinho  e 10% Syrah. 
 Na ilha da chilena Leyda  provamos os vinhos  Leyda Single Vineyard Falaris Hill Chardonnay, Leyda Single Vineyard Garuma Sauvignon Blanc e Leyda Single Pinot Noir Las Brisas.
Max Undurraga, da Koyle Family Vineyards, me serviu alguns rótulos e entre eles gostei muito do Carmenère Royale 2013, do Valle do Colchagua, Chile. Tinto potente, taninos macios, bom corpo, acidez e álcool na medida certa.

Para conhecer outros rótulos da Grand Cru acesse: https://www.grandcru.com.br/

FOTOS: MÁRCIA TOCCAFONDO.