Quem sou eu

Minha foto
Este blog nasceu em fevereiro de 2008, para postar eventos, assuntos referentes ao universo da moda, beleza, gastronomia e vinhos.

13 de março de 2015

Os vinhos da Villaggio Bassetti para os curitibanos...

 Muito surpresa com a qualidade do aroma e dos sabores dos vinhos catarinenses da Villaggio Bassetti, Alguns rótulos foram apresentados para imprensa e formadores de opinião, no último dia 10, no e harmonizados com os deliciosos pratos brasileiríssimos do restaurante Mukeka, em Curitiba. O vinho produzido pela família Bassetti tem como slogan "Feito com Paixão, Consumido com Prazer", e agora que os conheço, assino embaixo. Sem a preocupação exagerada de produzi-los em grande escala para comercialização, a família capricha muito em todas as fases a partir do plantio das castas. O resultado são vinhos muito frutados, aromáticos e gastronômicos, como espero que deva ser um bom vinho quando degustado, sem muitas chatices a acrescentar. Vinhos com complexidade, maciez, aromas marcantes e sabores idem. Há 10 anos, a vinícola Villaggio Bassetti aprimora sua produção de vinhos de altitude com tecnologia de ponta, dedicação e equipe altamente especializada, um vinho já reconhecido por críticos da área e que se consolida dia após dia como referência em “vinhos de boutique” no Brasil. Fotos por Márcia Toccafondo.
Os anfitriões da Villagio Bassetti, o casal Eliana e José Eduardo Bassetti, sócio-diretor da vinícola, Márcia Toccafondo, Reinaldo Bessa, a diretora de marketing da vinícola, Márcia Oliveira e o distribuidor para Curitiba, Carlos Feliz.
Vinhos à prova para os convidados....
Villagio Bassetti: Rosé (Pinot & Merlot), Sauvigon Blanc, Cabernet Sauvigon, Merlot, Pinot e em breve, Sangiovese.
Wagner Gabardo trocando impressões sobre os vinhos com José Eduardo Bassetti.
O primeiro vinho a ser degustado foi o Rosé (R$55,00), feito com duas uvas tintas: Pinot e a Merlot. A coloração deste vinho denuncia a elaboração por prensagem direta, permitindo manter as características de frescor e de aromas de um vinho alegre. A Villaggio Bassetti tem um vinhedo próprio de Pinot só para fazer este rosé.  Com estilo refinado que lembra os rosés da Provance, ele é fresco, leve, descontraído e tem o lado sensual do vinho rosé. Recomenda-se que se comece a beber por ele. É um vinho agradável e intenso para beber como aperitivo ao final do dia. Cor belíssima quase que o rosado transparente da casa de cebola. Para harmonizar com ele, optei pelo bobozinho de camarão... ficou espetacular!Vinho muito elegante, o Primiero (R$115,00) é feito com as uvas Cabernet Sauvignon e é produzido e fermentado em barricas de carvalho francês. Seu nome refere-se a uma pequena cidade trentina, Fiera de Primiero, na mesma região de onde vieram os Bassetti, e foi escolhido por ser o primeiro vinho da primeira safra produzida. Fermentado em barricas de carvalho francês, nela amadurece durante 22 meses antes de ser engarrafado. Trata-se de um vinho extremamente elegante, com boa estrutura e muito equibrado. É resultado de um processo bem elaborado e que aporta ao vinho elegância sem evidenciar a Madeira, somente o esplendor do vinho.  Deve ser decantado para ser degustado, mas pode ser guardado por dois, três, cinco, até dez anos garantindo sempre uma experiência nova ao paladar a cada nova garrafa aberta. De coloração grená, herdou da Serra Catarinense o frescor e os aromas típicos de amêndoas e pinhões. Estruturado, elegantemente longo, lembra o estilo europeu de elaborar vinhos. E provamos também o Montepioli (R$59,00). De coloração rubi, apresenta toda a estrutura do casamento de fruta madura com longa clausura em barril de carvalho francês. Feito de uvas merlot e cabernet sauvignon.Foi batizado com o nome de Montepioli em uma homenagem ao avô Juca Pioli, além da referência ao nome da fazenda onde está localizada a vinícola, a qual se chamava Monte Alegre.  E também em menção aos grandes vinhos da região da Itália que possuem o prefixo Monte em seu nome. Nele há um equilíbrio muito grande entre fruta e potência. Não é tão potente quanto é frutado. É um estilo Novo Mundo. Para acompanhá-los foi servido o Filé Nosso de Cada Dia (entrecote de grelhado com arroz de brócolis, farofa de ovos e vinagrete da casa, Pirarucu Grelhado (com cuzcuz de farinha Uarini, legumes da estação, regados ao leite e castanha), Ravioli da Roça (massa recheada com queijo de cabra e maçã verde).
Donna Enny (R$95,00). A excelente adaptação deste varietal ao terroir de altitude catarinense, aliada à maturação plena na colheita, permitiu que o estágio em barrica nova de carvalho francês aportasse elegância e mineralidade. Produzido com uvas selecionadas (Sauvignon Blanc), fermentação a baixíssima temperatura, descanso de seis meses sobre as borras (sur lies) em barricas novas de carvalho francês e estabilização a frio. Sua coloração amarelo dourado e com aromas de frutas maduras e retrogosto persistente foi feito em homenagem à mãe da família Pioli Bassetti, neta de italianos e filha de um produtor de vinhos, por isso o nome. Composição: 100% Sauvignon Blanc.
Vinícola Villaggio Bassetti:  Rodovia SC 114 Km 64 – São Joaquim / SC.
Para grupos e almoço aos sábados, agendamento antecipado:

Nenhum comentário: